Cidades

Usuários do transporte público em Pipa estão prejudicados com a falta do micro ônibus que faz toda extensão da praia

MICRO ÔNIBUS ESTÁ QUEBRADO E AINDA NÃO HÁ PREVISÃO DE VOLTA. FOTO: CEDIDA

Moradores de Pipa/Tibau do Sul que dependem do transporte público, principalmente no trajeto entre o município e a capital, estão sendo prejudicados há pelo menos uma semana com a demora no conserto do único micro ônibus que cruza toda a avenida Baía dos Golfinhos e Anel Viário que retorna para Goianinha/Natal.

Segundo o jornalista Carlos Maia, que reside em Pipa e Natal, o transtorno é grande. Ele chegou a entrar em contato com uma funcionária da empresa, mas ainda não há previsão do serviço ser normalizado. “Ela apenas comunicou que estavam fazendo o possível para que o micro ônibus voltasse a operar”.

Carlos Maia também entrou em contato com o DER, mas até o momento não obteve retorno do órgão reponsável.

Até o momento, o itinerário só está sendo cumprido pela empresa Riograndense, mas que o destino final é o estacionamento em Pipa, não extensão da praia.

FOTO: REPRODUÇÃO

1 Comentário

  • É verdade!!!!
    Nesses tempos eu não estou enfrentando isso na ele, pois devido a pandemia estive em trabalho remoto durante o ano de 2020 até o atual momento, porém tenho acompanhado as constantes quebras do ônibus até este que se estende por aproximadamente 10 dias, sem previsão de retorno. Antes do início da pandemia, já vínhamos enfrentando todas essas dificuldades, inclusive estive no verdinho em 2 momentos onde ele teve incidente com fogo, colocando a vida de todos em risco. Por diversas vezes ele quebrou na estrada e cheguei tarde no trabalho, sendo prejudicada diretamente. Sem falar nas constantes superlotações, que se davam durante todo o trajeto. Perdi a conta das vezes que viajei em pé de Natal a Tibau do Sul.
    O idela seria uma linha daRio Grandense saindo de Natal, às 5h da manhã, pois assim os funcionários ficariam com mais uma opção para chegar no tempo hábil no local de trabalho, considerando todos, inclusive quem fica no final do destino (Pipa). E claro, manter o alternativo funcionando EM BOAS CONDIÇÕES, para que tenhamos mais de uma opção.
    Tenho certeza que haverá passageiro para os dois transportes, pois todos os dias os funcionários públicos e privados, de hotéis, pousadas, escolas, saúde se deslocam neste sentido e precisam chegar cedo e principalmente em segurança no destino para trabalhar.

Comente aqui