Polícia

Telefone celular do marido de Flordelis foi usado horas após o crime, afirmam investigadores da Polícia

Investigadores da Polícia Civil descobriram que o telefone celular do pastor Anderson do Carmo, marido da deputada federal Flordelis (PSD-RJ), foi usado horas depois da morte dele. Ao menos duas mensagens foram repassadas do aparelho.

Os textos foram enviadas às 9h e às 10h07 de domingo, dia 16, momentos posteriores ao assassinato de Anderson. Ele foi morto na madrugada do mesmo dia, ao chegar à casa, em Niterói, na região metropolitana do Rio de Janeiro.

O telefone celular, no entanto, segue desaparecido. Nessa terça-feira, 25, a viúva de Anderson fez um apelo para que devolvessem o aparelho. Segundo a parlamentar, muitas pessoas passaram pela residência. Diz ainda ter sentido falta de objetos do marido, como uma pulseira de ouro.

“Foi uma romaria dentro da minha casa, muita gente estranha. Não tenho como dizer quantas pessoas passaram por lá. Queria muito saber, esse celular é importante para mim”, disse.

Conteúdo das mensagens

Em uma das mensagens enviadas do celular do pastor Anderson, a pessoa se identifica como filho do marido de Flordelis. “Aqui é um dos filhos do Pr Anderson”, escreveu inicialmente. Em seguida, continuou: “Orem por nós. Infelizmente as notícias são verdades”.

Para a polícia, o autor queria informar sobre o assassinato do Anderson. Em outra mensagem, o responsável pelo envio marca o local onde aconteceu o crime, ou seja, na casa do casal. Policiais afirmam já ter informações sobre quem usou o telefone após a morte de Anderson – no entanto, os investigadores decidiram não divulgar.

Metrópoles


Deixe um Comentário