Cidades

Sinmed/RN denuncia falta de equipamentos de segurança para médicos em Natal

FOTO: DIVULGAÇÃO

Nos últimos dias, o Sindicato dos Médicos do Rio Grande do Norte (Sinmed/RN) tem registrado o aumento no volume de denúncias relacionadas à falta de equipamentos de proteção individual aos profissionais de saúde, o que foi confirmado em verificações in loco por exemplo nas unidades municipais de Felipe Camarão II, Pajuçara, na Mista de Mãe Luíza e na UPA de Cidade Satélite. A proteção dos profissionais nos seus locais de trabalho é uma preocupação constante no sindicato. Atuação agora em caráter mais efetivo diante do quadro de pandemia do novo Coronavírus.

“Enquanto médicos nosso foco é a vida da população, claro. Mas enquanto sindicato temos a obrigação de zelar também pelas condições de trabalho dos profissionais. Só na capital temos quatro médicos internados em UTIs e nossa preocupação só aumenta. Em fiscalizações nas unidades de atendimento, pudemos verificar que em certos locais só estão disponíveis as máscaras cirúrgicas, quando o ideal seria a do tipo N95 e álcool em gel. Notificamos as Secretarias de Saúde do Estado e de Natal e solicitamos a aquisição dos equipamentos. Recebemos as respostas que as compras foram feitas, só que a chegada depende dos prazos dos fornecedores. Vale lembrar que os médicos não são obrigados a trabalhar sem os equipamentos de proteção, mas não há como dizer que não atendam, pois configura omissão. Por isso diariamente parabenizamos a coragem e o compromisso de todos”, destacou Geraldo Ferreira, presidente do Sinmed/RN.

Ainda sobre os prazos para a chegada de máscaras, luvas e kits mais completos, as Secretarias de Saúde informam que, mesmo com a urgência, a demora para o funcionamento de equipamentos como respiradores, camas e máquinas de UTI é ainda maior devido a necessidade de treinamento de pessoal. O Sinmed/RN também recebeu outras informações das secretarias relacionadas aos custos dos materiais. Atualmente custa mais caro importar máscaras da China que produzir aqui no Brasil. Para se ter uma ideia a caixa de máscaras subiu de R$ 4,90 para R$ 37 e a de luvas de R$ 11 para R$ 24, com uma possibilidade de chegar, segundo esses fornecedores, a até R$ 100 reais a caixa.

O Sinmed/RN continua atento, acompanhando e cobrando os equipamentos de proteção aos médicos e trabalhadores de saúde. À população recomendamos a seguir em isolamento social, guardar as medidas de higiene como usar o álcool em gel e se proteger com máscara nas ocasiões de exposição como em supermercados, unidades de saúde e ônibus, entre outros. Assim fez a China e obteve bons resultados.

“A nossa meta é evitar ao máximo a repetição de erros cometidos em Portugal, Espanha e Itália, onde são altos os índices de contaminação e mortes de profissionais de saúde. Só na Itália, por exemplo, 51 médicos morreram em decorrência do Covid-19. Aqui no Rio Grande do Norte orientamos aos médicos que queiram fazer denúncias ao sindicato, podem nos ligar pelo telefone (84) 3222-0028”, finaliza Geraldo Ferreira.



Deixe um Comentário