Cultura

Show de Fagner encerra o segundo dia do Festival Literário de Natal

FAGNER SUPEROU UMA FRATURA NO OMBRO QUE LIMITOU OS SEUS MOVIMENTOS PARA LEVANTAR UM PÚBLICO ÁVIDO POR OUVIR SUAS MÚSICAS.

FAGNER SUPEROU UMA FRATURA NO OMBRO QUE LIMITOU OS SEUS MOVIMENTOS PARA LEVANTAR UM PÚBLICO ÁVIDO POR OUVIR SUAS MÚSICAS.

A segunda noite da programação do Festival Literário de Natal teve debates para todos os gostos e estilos literários. Além disso, o público que foi até a Praça Augusto Severo nesta quinta-feira (16) foi brindado com um super show do cantor Fagner que encerrou a noite embalando o público com os grandes sucessos de sua carreira. O prefeito de Natal, Carlos Eduardo, acompanhou tudo ao lado do secretário municipal de Cultura, Dácio Galvão.

Os debates literários da noite foram abertos na Tenda Moacy Cirne com o bate-papo bem interessante entre Március Cortez e Tácito Costa. Na sequência, todo mundo se dirigiu a tenda principal para assistir ao painel de debates sobre as obras literárias do advogado, professor e escritor potiguar Hélio Galvão. A mesa contou com as participações do jornalista Vicente Serejo, da professora Diva Cunha e da psicanalista Ana Galvão, filha de Hélio.

Os debatedores concentraram as suas observações sobre Hélio Galvão na sua obra “Cartas da Praia” que foi editado em três volumes. Todos destacaram a proeza do autor em descrever com detalhes mínimos o ambiente da época, o seu estilo de escrever elegante e muito perspicaz. Em 2016, se fosse vivo, Hélio Galvão celebraria 100 anos.

O segundo painel da noite envolveu a escritora Beatriz Bracher e o jornalista Vicente Serejo. Eles conversaram sobre a produção própria de Beatriz, mais precisamente sobre o romance “Anatomia do Paraíso”, uma das produções literárias mais premiadas que foi considerado melhor livro do ano, recebendo o troféu São Paulo de Literatura.

A terceira mesa de debates da noite foi muito especial. O jornalista potiguar Woden Madruga e a escritora Marina Colasanti divertiram a plateia com um diálogo bem descontraído e repleto de opiniões firmes a respeito da formação literária do brasileiro, bem como a necessidade de se investir mais em educação para que surjam cidadãos leitores que valorizem a literatura. Marina foi bastante assediada pelo público e distribuiu simpatia, encerrando o debate declamando um dos seus milhares de contos. Quem acompanhou não vai esquecer tão cedo.

Para finalizar a noite de literatura e música Fagner superou uma fratura no ombro que limitou os seus movimentos para levantar um público ávido por ouvir suas músicas. Ele não decepcionou. Foi um sucesso atrás do outro. Entre uma canção e outra ele declarava o seu amor por Natal e parabenizava a gestão do prefeito Carlos Eduardo pela promoção do evento: “A cidade está de parabéns pela valorização que dá a cultura”, falou.

Carlos Eduardo enalteceu a importância da realização do Festival Literário de Natal, agradecendo o apoio dos parceiros que foram fundamentais para a realização do evento em virtude da crise econômica que assola o país. O prefeito lembrou que o durante a realização do Natal em Natal a cidade se transforma na capital cultural do país e disse que o natalense já abraçou a causa: “Isso é cultura viva, pulsante, encantadora. Natal recebe os maiores nomes da literatura e da música do país de braços abertos. O FLIN está consolidado. Fico muito feliz de ver que o nosso trabalho em busca do fortalecimento da cultura venha dando resultado”, exaltou o chefe do executivo municipal”.

O Festival Literário de Natal segue nesta sexta-feira (16). A programação matinal voltada para a contação de histórias com Nara Kelly e depois um bate papo sobre Ilustração com Raissa Bulhões, Veruschka Guerra, Rodrigo Brum e José de Castro.

Na Tenda Cine Sesc acontece o lançamento e bate papo com os produtores do curta “Mar de Zila”, premiado no Edital Cine Natal 2014, promovido pela Prefeitura do Natal. À tarde, o público poderá assistir um bate papo sobre Deífilo Gurgel e ainda um debate com os autores Beatriz Madruga, Patrício, Gonzaga Neto e mediação de Carlos Fialho.

À noite, a literatura invade novamente a Tenda Principal, com debates imperdíveis reunindo Woden Madruga, Alex Nascimento, Mário Ivo Cavalcanti, Marco Lucchesi, José Paulo, Raimundo Fagner e para fechar a noite um pocket show de Virgínia Rodrigues. A banda potiguar Plutão Já Foi Planeta encerra a noite com um grande show no palco externo. Você não pode perder.



Deixe um Comentário