Mundo

Senado americano decide permitir testemunhas no processo de impeachment de Trump, adiando votação final

DEMOCRATAS QUEREM CHAMAR REPUBLICANA PARA FALAR SOBRE DIÁLOGO QUE EX-PRESIDENTE TEVE COM LÍDER DE SEU PARTIDO NA CÂMARA DURANTE INVASÃO DO CAPITÓLIO EM JANEIRO. FOTO: AFP

Em um passo inesperado neste sábado (13), o Senado americano aprovou a convocação de testemunhas no processo de impeachment do ex-presidente Donald Trump. A medida, na prática, deve adiar a votação final do julgamento, talvez até em vários dias. Ela foi tomada para que os democratas possam chamar uma congressista republicana como testemunha.

Os deputados democratas que atuam como promotores no caso querem convocar a representante republicana Jaime Herrera Beutler para depor, disse o chefe da acusação, Jamie Raskin.

A ideia dessa convocação veio após surgir a notícia de que Trump disse a um importante congressista republicano que a multidão que invadiu o Capitólio em 6 de janeiro estava “mais chateada” com sua derrota nas eleições do que os legisladores.

“Queremos ter a oportunidade de acessar seu depoimento através (da plataforma de videochamada) Zoom por menos de uma hora ou também de citar outros documentos relevantes”, disse Raskin no quinto dia do julgamento contra Trump pela acusação de “incitamento à insurreição “pelo ataque de seus partidários ao Capitólio”.

Raskin observou que os democratas também querem acesso às comunicações da deputada com o líder da minoria republicana da Câmara, Kevin McCarthy, e às notas que ela fez sobre uma conversa entre Trump e McCarthy durante o ataque ao Capitólio.

G1


Comente aqui