Política

Rogério Marinho: Fátima Bezerra se comporta como “chefe de facção em prol da hegemonia marxista” nas escolas

 MARINHO REBATEU A ACUSAÇÃO NESTA TERÇA-FEIRA NA CÂMARA AFIRMANDO QUE A PETISTA SE COMPORTA COMO “CHEFE DE FACÇÃO

MARINHO REBATEU A ACUSAÇÃO NESTA TERÇA-FEIRA NA CÂMARA AFIRMANDO QUE A PETISTA SE COMPORTA COMO “CHEFE DE FACÇÃO

A senadora Fátima “É Gópi” Bezerra (PT-RN) acusou com indiretas o deputado federal e seu conterrâneo Rogério Marinho (PSDB-RN) de tentar “impor lei de mordaça” ao cobrar do Ministério Público Federal uma investigação sobre a denúncia feita por pais de alunos do Núcleo de Educação Infantil (NEI) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) de que professores usam a sala de aula para promover doutrinação contra o governo de Michel Temer e a PEC 241, que limita gastos públicos.

Marinho rebateu a acusação nesta terça-feira na Câmara afirmando que a petista se comporta como “chefe de facção em prol da hegemonia marxista” nas escolas do Brasil.

“O arbítrio de que fala a senadora é a falta de qualidade da educação brasileira, em especial no nosso estado”, disse o deputado. “E ela há trinta anos está se elegendo e se reelegendo em função do trabalho de sindicatos que é feito lá contra a qualidade da educação”, disparou.

Vale a pena ver Marinho discorrendo no vídeo abaixo sobre o adestramento político dos estudantes brasileiros, ao qual o PT – o maior derrotado nas urnas no último domingo – agora se agarra mais do que nunca, na esperança de falsificar a história nas salas de aula.

A propósito: a Câmara finalmente instala nesta quarta-feira (5) uma comissão para debater o projeto Escola Sem Partido. O presidente é Marcos Rogério (DEM-RO) e o relator, Paulo Eduardo Martins (PSDB-PR).

Blog Felipe Moura/Veja


Comente aqui