Brasil

PSOL pede quebra dos sigilos de homem que ameaçou Felipe Neto

FOTO: REPRODUÇÃO/INSTAGRAM

A bancada do Psol protocolou ontem (31) requerimento na Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) das fake news solicitando a quebra dos sigilos bancário, fiscal, telefônico e telemático de Leandro Cavalieri, homem que ameaçou o youtuber Felipe Neto. O pedido abrange o período de 1º de janeiro de 2018 a 31 de julho de 2020.

Nos últimos dias, Felipe Neto foi alvo de postagens falsas que o acusam de incentivar a pedofilia e de ataques ao comprar e distribuir 14 mil exemplares de livros com temática LGBT+ na Bienal do Livro do Rio de Janeiro, em setembro do ano passado. O próprio influenciador já atestou a falsidade das informações e se defendeu das ameaças recebidas.

“Virem atrás de mim, dentro da minha casa, é um nível de perseguição que eu não imaginei que aconteceria. É o tipo de coisa que você vê em filme, vê em série, mas nunca imagina que realmente aconteça”, disse ele ao Jornal Nacional na última quinta-feira (30).

O Psol alega que os ataques são orquestrados pelo chamado “Gabinete do Ódio”, estrutura digital montada no Palácio do Planalto a fim de disparar ataques contra opositores do governo. “O modus operandi utilizado pelo “gabinete do ódio” levanta séria suspeita de que o caso tratado em tela tenha sido mais uma peça produzida e disseminada sob os comandos da organização desta criminosa conhecida”, diz o pedido assinado pelos deputados federais do partido.

“A quebra dos sigilos bancário, fiscal, telefônico e telemático do Sr. Cavalieri é absolutamente necessária para que se desvele a verdade dos fatos. É preciso saber quem financia e quem se beneficia desse esquema criminoso.”

Congresso em Foco



Comente aqui