Política

Protejo pretende proibir Eduardo Bolsonaro de assumir embaixada nos EUA

NA TRIBUNA DA CÂMARA, ALÉM DE APONTAR NEPOTISMO, CALERO DISSE QUE O FILHO DO PRESIDENTE NÃO TEM QUALIFICAÇÃO PARA O CARGO. FOTO: PAOLA DE ORTE/AGÊNCIA BRASIL

Diplomata de carreira, o deputado federal Marcelo Calero (Cidadania-RJ) reagiu a uma possível nomeação de seu colega Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) ao cargo de embaixador do Brasil nos Estados Unidos por seu pai, o presidente Jair Bolsonaro. Nesta sexta-feira, dia 12, Marcelo protocolou na Câmara dos Deputados um projeto de lei para para proibir que pessoas de fora da carreira diplomática chefiem missões brasileiras no exterior.

“A aceitação desse tipo de missão é recado duro ao povo brasileiro, pois ao mesmo tempo representa nepotismo com desprestígio da carreira de diplomata”, disse Calero, ex-ministro da Cultura do governo Temer que é concursado no Itamaraty. “Por mais com competente que o Eduardo Bolsonaro seja, trata-se de nepotismo”, afirmou.

Na tribuna da Câmara, além de apontar nepotismo, Calero disse que o filho do presidente não tem qualificação para o cargo. “Para desempenhar essa função, centenas de diplomatas decidam uma vida inteira de estudo e trabalho”, destacou. “Há muito suor e dedicação para que o servidor tenha os atributos de excelência necessários à estatura da representação diplomática. E é isso particularmente importante na chefia da Embaixada do Brasil nos Estados Unidos.”

“POR MAIS COM COMPETENTE QUE O EDUARDO BOLSONARO SEJA, TRATA-SE DE NEPOTISMO”, AFIRMOU CALERO. FOTO: MICHEL JESUS/ CÂMARA DOS DEPUTADOS

“A tradição de designar diplomatas de carreira para ocupar a chefia de corpos diplomáticos no exterior foi retomada nos últimos 10 anos e não pode mais uma vez ser quebrada por um capricho do presidente da República.” O projeto foi protocolado na Câmara nesta sexta e aguarda distribuição por parte da Mesa para começar a tramitar.


Deixe um Comentário