Natal

Projeto na Câmara propõe combate ao suicídio e depressão

PROJETO DE LEI “NATAL SAUDÁVEL FOI APRESENTADO DURANTE AUDIÊNCIA PÚBLICA NA MANHÃ DE HOJE (12)

Durante audiência pública na manhã desta quarta-feira (12), foi apresentado o projeto de lei “Natal Saudável”, de autoria do vereador Robson Carvalho (PMB) para prevenir o suicídio. A audiência, que também foi proposta pelo parlamentar, reuniu representantes de ONGs e projetos voluntários que já trabalham com a causa, como  o  Mais  Vida, Centro de valorização da Vida (CVV), Leve Vida, Ponte da Vida; além de representantes das secretarias de Saúde do Estado e do Município, estudantes e professores de psicologia, Bombeiros, Guarda Municipal e vereadores.

O projeto pretende coordenar ações integradas entres esses projetos e diversas secretarias municipais (Educação, assistência Social, Mulher, Saúde, Esportes) mais a Universidade Federal (UFRN) para prevenir, identificar e acolher pessoas vulneráveis ao suicídio, através de atividades de esporte, lazer, palestras e eventos de conscientização sobre a temática. As circunstâncias que facilitam o comportamento suicida podem ser contrabalanceadas pelos fatores protetivos. Esses fatores como fé religiosa, apoio social, capacidade de discernimento e oportunidade de pedir ajuda formam um conjunto de inibidores. No brasil, 53,3% das pessoas que tentam o suicídio não procuram nem são levados à assistência médica e é provável que este número seja muito maior.

A professora de Psicologia da UFRN, Karina Azevedo, defende que o assunto seja debatido. “Debater é importante para compreender essa realidade e esse é o primeiro passo. O que precisa a partir daí é articular e conseguir estratégias de combate e acolhimento para identificar e agir”, disse. Estudos mostram que a desordem psiquiátrica, em especial as que envolvem transtornos mentais, transtornos de humor e abuso de substâncias, está presente em 95% dos casos de suicídio e que 90% dos casos de suicídio podem ser prevenidos, já que esse é o mesmo percentual dos suicidas portadores de transtornos mentais, ignorados, outras vezes não diagnosticado.

Os líderes dos projetos que trabalham com a causa relataram na audiência as atividades que já realizam para enfrentar o problema e os resultados. Leila Maia, do projeto Ponte da Vida disse que percebeu que as pessoas não buscam ajuda por medo e por preconceito. “Criamos grande movimento para unir forças. Hoje em dia falar sobre suicídio de maneira responsável estimula as pessoas a buscarem ajuda. Precisamos conversar para que se sintam a vontade para falar”, sugere.

A falta de capacitação dos agentes que atuam na urgência e emergência implica na sub notificação do suicídio e o projeto apresentado pelo vereador na audiência também trabalha nessa vertente. “Trata-se de um assunto polêmico e relevante, mas ainda obscuro. Queremos que haja solução através da prevenção com esporte, profissionais capacitados e utilização dos espaços da cidade. São ações para desmistificar e informar sobre suicido sem ônus para o município porque aproveita a estrutura já existente”, explica o vereador. De acordo com dados da Secretaria Municipal de Saúde, Natal já contabiliza 28 casos de suicídio em 2018. Os vereadores Nina Souza (PDT) e Ney Júnior (PSD) também participaram da audiência.



Deixe um Comentário