OAB; OAB/RN

PROJETO DE PODER: depois de trair Aldo Medeiros, advogada Rossana Fonseca sai da disputa da OAB/RN e anuncia apoio à Magna Letícia

Depois de trair o advogado Aldo Medeiros, atual presidente da OAB/RN, e lançar-se candidata à presidência contra a gestão da qual ela própria faz parte, a advogada Rossana Fonseca surpreendeu o mundo jurídico ao desistir da disputa e anunciar o seu apoio a advogada Magda Letícia, a quem combatia com ferro e fogo. A postura de Rossana deixa claro para observadores da cena eleitoral que a sucessão na OAB/RN é movida apenas por projetos de poder, que passam ao largo de qualquer sentimento voltado para o que deveria ser prioridade: o fortalecimento da advocacia e da entidade classista.

Através de um comunicado à imprensa, Rossana Fonseca, que vinha patinando na preferência do eleitorado, tenta justificar a desistência e o apoio à Magna Letícia, alegando ser “movida por desafios e compromissos”. Ela agora argumenta que a adesão a Magna Letícia, até então sua ferrenha adversária, representa uma “união política em favor da advocacia”.

Com baixa densidade eleitoral no âmbito da advocacia, resta agora saber se o apoio de Rossana Fonseca à Magna Letícia atrapalha mais do que ajuda.

Segue abaixo, na íntegra, o comunicado de Rossana Fonseca sobre a desistência de disputar a presidência da OAB/RN.

“Sou movida por desafios e compromissos. Tanto na vida pessoal, quanto no exercício diário da advocacia, os dois propósitos funcionam como fontes de estímulo em minha caminhada. A ambos, incorporo o senso de coletividade, igualmente muito forte como característica pessoal.

Guiada por todos esses elementos, disponibilizei meu nome como alternativa ao vindouro processo eleitoral da OAB/RN, a nossa Seccional da Ordem dos Advogados do Brasil. Não por um desejo individual, mas pela decisão amadurecida e conjugada por incentivos e até convocações de colegas valorosos de ofício que viram o meu nome como detentor de perfil adequado para assumir a presidência da instituição a partir de janeiro de 2022 e pelo próximo triênio.

Me deparar com tantos e contundentes chamados fez com que eu me sentisse desafiada. Mais ainda, com a responsabilidade de representar e levar adiante os anseios de um grupo crescente de advogados, assumindo um projeto, repito, de caráter coletivo.
Ato contínuo, demos junto com o grupo de incentivadores novos passos, inclusive para fortalecer nossa proposta e agregar novos apoios. Nesse sentido, buscamos entendimentos com outros grupos que, de maneira igualmente legítima, também postulavam candidaturas ao comando da OAB/RN.

Em uma dessas propostas de diálogo, alinhamos com as advogadas Magna Letícia e Marisa Almeida, também posicionadas como pré-candidatas, a possibilidade de uma união política em favor da advocacia. Estabelecemos critérios para a definição do nome que pudesse reunir o esforço dos três nomes, dentre eles a realização de uma consulta a advogados de todas as regiões do Estado.

Assim foi feito, até que a consulta externa e as avaliações internas dos três grupos levaram ao consenso em torno do nome da advogada Magna Letícia. De minha parte, e juntamente com o grupo que me propus a representar, a decisão imediata foi de honrar o compromisso assumido e, assim, unir forças em favor de Magna Letícia no futuro processo eleitoral da nossa Seccional.

Reitero que o objetivo central de nossa caminhada continua o mesmo: de concentrar esforços para avançarmos em causas urgentes da advocacia, como a preservação de suas prerrogativas profissionais e o aprimoramento da sua qualificação, tudo com transparencia. Sempre posicionei o fortalecimento da advocacia acima de qualquer objetivo político. Esta continua sendo a minha prioridade. Continuarei dedicando todo o meu empenho a este princípio, em qualquer posição em que estiver inserida, agora em apoio ao projeto que terá em Magna Letícia sua representação.

A todos os que estiveram ao meu lado, incentivando e defendendo o meu nome, manifesto um forte e sincero agradecimento. À advocacia potiguar, deixo por fim uma palavra extra de serenidade de quem se sente preparada para enfrentar todos os desafios que se impuserem em benefício da categoria, independentemente de questões políticas ou de posicionamentos eleitorais”.


Comente aqui