Cidades

Professores de Alexandria são proibidos pela prefeitura de se alimentarem da merenda escolar

Repete-se pela Prefeitura de Alexandria, o episódio do “Cuzcuz Alegado”, denunciado pela Professora Amanda Gurgel, quando os Professores da Rede Estadual de Ensino foram proibidos de se alimentarem com a Merenda nas Escolas onde lecionavam. Uma nota assinada pelo Ex-vereador, Manoel Abrantes Nobre Júnior, foi divulgada comentando a medida:

NOTA DIRIGIDA À POPULAÇÃO DE ALEXANDRIA

Um dos princípios mais importantes da administração pública é o bom senso, aquilo que mesmo não estando escrito, não fazendo parte da lei, é aceito pela população dentro da sua razão, da lógica e da sabedoria.

Um administrador quando se guia pelo bom senso tem grande chance de acertar e receber os aplausos dos seus concidadãos.

A ordem da Prefeitura Municipal de Alexandria, através da Secretaria de Educação, por exemplo, proibindo os professores da rede municipal de se alimentarem, quando no trabalho, da merenda escolar servida aos alunos, fere frontalmente o bom senso!

Primeiro, porque essa é uma prática de anos e anos, que nunca deu prejuízo às partes interessadas;

Segundo, que a quantidade de professores em relação ao número de alunos

matriculados é muito pequena, o que certamente não prejudica a merenda dos estudantes;

Terceiro, que muitos professores trabalham em horário integral, e que não é justo que fiquem sem acesso à alimentação;

Quarto, que a Lei 11.947, de 2009, é daquelas leis que o Brasil nunca cumpriu, por ser injusta, mesquinha, e desprovida de bom senso;

Quarto, que existem tantos assuntos importantes a serem discutidos na área de educação do município que, proibir a alimentação dos professores é uma desconsideração à categoria, além de uma medida pequena que não leva a nada, nem sequer à uma economia financeira de verdade;

Quinto, que essa medida absurda parece muito com aquela outra proibição de uma ou outra pessoa poder andar no transporte escolar, mesmo que naquele trajeto não tenha, no horário, nenhum estudante ocupando o referido transporte;

Sexto, que conforme sondagem feito junto aos professores do município há uma insatisfação generalizada da categoria, que só não se expressa publicamente por medo de punição ou retaliação por parte da Prefeitura;

Sétimo, que essa insegurança e temor da categoria de professores é de se lamentar, pois configuram um estado de autoritarismo descabido, próprio de situações antidemocráticos, ultrapassadas, inaceitáveis nos tempos transparentes de hoje, onde os homens e mulheres livre do Brasil caminham para refundar o nosso País, Estados e Municípios.

Não por coincidência, aproveitando o dia de hoje, 15 de novembro, dia da Proclamação da República: Viva a República, Viva a Democracia, Viva a Liberdade!

Alexandria, 15 de novembro de 2017

Assina: Manoel Abrantes Nobre Júnior – Ex-Vereador


Deixe um Comentário