Economia

Procon Natal orienta consumidores e divulga pesquisa de preço de produtos natalinos

DOS ITENS PESQUISADOS, 78,5% ESTÃO MAIS CAROS E 21,5% ESTÃO MAIS BARATOS EM RELAÇÃO AO ANO PASSADO. (AGÊNCIA BRASIL/EBC)

DOS ITENS PESQUISADOS, 78,5% ESTÃO MAIS CAROS E 21,5% ESTÃO MAIS BARATOS EM RELAÇÃO AO ANO PASSADO. (AGÊNCIA BRASIL/EBC)

O PROCON NATAL – Instituto Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor – órgão da Prefeitura Municipal do Natal, no intuito de orientar os consumidores nas compras para as festas de fim de ano, realizou pesquisa de produtos natalinos, constatando que os vinhos brancos e tintos estão, em média, 22,10% mais caros este ano em relação ao mesmo período do ano passado.

Dos itens pesquisados, 78,5% estão mais caros e 21,5% estão mais baratos em relação ao ano passado. O Lombo teve uma redução -5,83, bebidas em geral aumentaram o Whisky 12,11, espumante 25,68%, panettones aumentaram 7,31% e queijos, 8,07%.

A pesquisa incluiu sessenta (60) itens referentes a produtos natalinos (queijos do reino, panettones, frango, chester, fiesta, peru, pernil de porco, lombo de porco, chocolates, azeites e bebidas, como, sidra, champagne, vinho branco, vinho tinto e uísque), e foi realizada em dez (10) supermercados e hipermercados de Natal nas duas primeiras semanas do mês de dezembro.

Os queijos apresentaram aumento em relação ao ano passado (subiram 8,07%, em média), destacando um aumento no Queijo do Provolone Quatá e uma redução no Queijo do Reino Quatá de 19,59% e 6,78 %, respectivamente.

Os panettones também aumentaram de preço em relação ao ano passado (subiram 7,31%, em média), das marcas pesquisadas destacando o Panettone Viscondi tradicional, que teve redução mínima de 2%.

Com relação aos vinhos, o Procon Natal incluiu na pesquisa apenas os vinhos nacionais mais populares, brancos e tintos. Também foram incluídos espumantes, uísques nacionais e alguns – os mais comuns. As maiores variações foram detectadas no Vinho tinto Dom Bosco, 750 ml (está 30,70% mais caro), Vinho branco Chalise 750 ml (está 26,76% mais caro).

Dos itens pesquisados pelo Procon Natal, a bebida foi a categoria que registrou o maior índice de aumento (comparando-se os preços médios) em relação ao ano passado, em destaque o vinho branco e tinto que aumentou em média 22,55% e 21,66% respectivamente.

Produtos industrializados em conserva foram pesquisados e destes os mais baratos entrou nos custos da variação, são eles; frutas em caldas, azeites, azeitonas. As frutas secas são transformadas em kg para a média geral.

DIFERENÇAS DE PREÇOS

O Procon Natal destaca a grande diferença de preços entre os estabelecimentos, que chegam em casos mais que 100%, (ver tabela abaixo), o que sugere que o consumidor deve pesquisar antes de comprar (ver tabela completa dos preços por produto/estabelecimento em www.natal.rn.gov.br/procon).

O pernil de porco congelado da uma marca conhecida no mercado, por exemplo, pode custar de R$ 11,99/kg a R$ 23,98/kg (diferença de 100%). O lombo de porco congelado de marca conhecida no mercado custa entre R$ 13,90 e R$ 23,95/kg (diferença de 72,30%).


Deixe um Comentário