Mundo

Princesa, esposa de primeiro-ministro árabe, gastou 34 milhões de reais para manter affair com segurança em segredo, revela site

FOTO: DIVULGAÇÃO/REUTERS

A princesa Haya, sexta esposa do emir de Dubai, pagou ao segurança e amante britânico Russel Flowers cerca de 8,5 milhões de reais para que ele mantivesse segredo sobre seu caso de dois anos e os presentes de luxo que ela deu a ele, incluindo um relógio de 85 mil reais e uma arma rara de 257 mil reais, revelou o The Daily Mail.

Filha do rei Hussein da Jordânia, Haya era a mais jovem esposa do bilionário xeque Mohammed Al Maktoum, que também é primeiro-ministro e vice-presidente dos Emirados Árabes Unidos. Ela teria presenteado Flowers com presentes extravagantes e insistiu que ele a acompanhasse aonde quer que fosse. O relacionamento de dois anos foi revelado durante a audiência da princesa na Suprema Corte de Londres em que ganhou a custódia dos dois filhos em processo movido contra o agora ex-marido.

Se o affair acabou com a união de 15 anos com Al Maktoum na primeira metade de 2019, ele também foi a razão do término do casamento de quatro anos de Flowers, que teria deixado sua esposa “devastada” com a traição. De acordo com pessoas próximas ao britânico, a ex-companheira lhes disse que o segurança foi seduzido com os presentes caríssimos de Haya e, em troca, deveria manter o silêncio sobre os momentos íntimos com a princesa. Procurado pelo Mail, o ex-amante da princesa se negou a fazer qualquer comentário.

Fontes próximas aos amantes revelaram que em viagens ao exterior, a princesa sempre insistia que eles ficassem em quartos conjugados. “Quando ela estava no Reino Unido, saía com ele quase todas as noites e às vezes eles só voltavam para casa na manhã seguinte. Disseram que Russell mudou seu comportamento e passou de um marido amoroso a alguém que sua esposa deixou de reconhecer”. “A esposa dele percebeu que ligações e mensagens começaram a chegar todas as noites depois que ele voltava do trabalho”, disse um amigo da família. “Ele disse a ela que era sobre o trabalho de segurança, mas as mensagens duravam horas. Às vezes, a princesa colocava o filho no telefone, mas isso levantou algumas suspeitas.

Revista Monet


1 Comentário

Comente aqui