CORONAVÍRUS

Prefeitura do Natal diz não ser necessário adotar regime de lockdown no município

FOTO: PEDRO VITTORINO

A Prefeitura do Natal avalia que a adoção de lockdown não é necessária no atual momento para o município. A análise decorre de uma recomendação feita pelo Conselho Municipal de Saúde de Natal, que sugeriu na última quarta-feira (27) medidas mais restritivas à circulação de pessoas e ao funcionamento das atividades produtivas na capital potiguar.

Segundo a Prefeitura, a cidade vai seguir cumprindo com as medidas de isolamento social decretadas pelo Governo do Estado. A previsão do município é continuar assim até o dia 4 de junho – data de encerramento validade do atual decreto. Somente após isso, o Município deve tomar um novo posicionamento sobre as medidas sanitárias.

Na última quarta-feira (27), o Conselho Municipal de Saúde – colegiado formado por entidades que atuam na área saúde da capital potiguar – votou pela recomendação de um bloqueio mais rígido para toda a Natal.

Apesar de não querer adotar as medidas mais restritivas de isolamento, como preconiza o lockdown, Natal registra 2.221 casos confirmados de Covid-19. A cidade contabiliza ainda 76 mortes em decorrência da doença. Além disso, até a tarde desta quinta-feira (28), cidade estava com 100% dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva ocupados, o que representa 95 vagas de internação.

Segundo o Conselho Municipal de Saúde, o lockdown foi apontado como estratégia urgente para enfrentar a pandemia, considerando a aceleração da curva de contaminação e a limitação estrutural da rede municipal de saúde. Os integrantes do colegiado alegam que há falta de equipamentos e profissionais em todos os níveis da atenção hospitalar.

A presidente do Conselho, Maria Dalva Horácio, também foi solicitou que Executivo municipal promova campanhas educativas para a população sobre o combate à pandemia e importância do isolamento. O objetivo é tornar a propagação da doença minimamente administrável para garantir o acesso à saúde para todos que necessitem.

Esta foi a segunda vez que uma entidade ligada à saúde tenta viabilizar o lockdown na capital potiguar. No último dia 13, o Sindicato dos Servidores de Saúde do Rio Grande do Norte (Sindsáude) ingressou com uma ação judicial para obrigar ao Município a decretar o isolamento mais restrito da população.

Contudo, no dia 18, o juiz Luiz Alberto Dantas Filho, da 5ª Vara da Fazenda Pública de Natal, rejeitou o pedido do sindicato. O processo foi arquivado.

Hospital de campanha abre os primeiros leitos de UTI

A montagem dos 20 leitos da Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) do Hospital Municipal de Campanha foi finalizada nesta quinta-feira (28). Três vagas foram abertas para receber os pacientes que necessitem dos cuidados em casos mais graves da Covid-19.

A estrutura conta com respiradores, bombas de infusão, monitores cardíacos, aparelho portátil de Raio X, mecanismo para uso de gases hospitalares com ar-comprimido, oxigênio e ponto para realização de hemodiálise. A equipe de plantão da UTI conta com médicos (intensivistas e hospitalistas), enfermeiros e técnicos de enfermagem.

De acordo com a direção do HMC, nos próximos 10 dias serão instalados o tomógrafo e o aparelho de Raio X fixos. Nesta quinta, o hospital está com 20 pacientes internados nos leitos clínicos na unidade e a expectativa é que mais seis sejam encaminhados para tratamento no local.



Comente aqui