Cidades

Prefeitura de Parnamirim orienta sobre destino do lixo no litoral

O EVENTO PROMOVIDO PELA PROMOVEC EM PARCERIA COM A PREFEITURA DE PARNAMIRIM INTEGRA MAIS UMA ETAPA DA 1ª. GINCANA AMBIENTAL DO LITORAL DE PARNAMIRIM

Você descarta seu lixo de forma correta? Com esta pergunta, a assessora técnica da Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (SEMSUR), Rárika Bastos – convidada pela Associação dos Proprietários, Moradores e Veranistas da Praia de Cotovelo (PROMOVEC) -, iniciou na manhã de hoje, 9, em Cotovelo, a palestra “Eu produzo menos lixo”, em comemoração à data 5 de junho – Mundial do Meio Ambiente.

O evento promovido pela PROMOVEC em parceria com a Prefeitura de Parnamirim integra mais uma etapa da 1ª. Gincana Ambiental do Litoral de Parnamirim, prevista para ocorrer no mês de novembro. “Temos uma parceria com a Prefeitura para a realização da gincana e convidamos Rárika Bastos e Luís Antônio Melo (SEMUR) para nos orientar sobre a destinação correta do lixo”, explicou o presidente da PROMOVEC, Esam Elali.

De acordo com Rárika Bastos, o Brasil produz 260 mil toneladas de lixo por dia. “Desse total, apenas 2%, ou seja, 5.200 toneladas são reciclados. 75% dos resíduos vão para os lixões; 13% para os aterros controlados e 10% para os aterros sanitários”, revelou a assessora técnica.

No Brasil 3.326 municípios destinam resíduos sólidos para locais impróprios como os lixões. E, 76,5 milhões de pessoas sofrem diretamente com os impactos negativos dessa prática, segundo informações coletadas por Rárika Bastos.

O Rio Grande do Norte produz 2.712,26 toneladas de lixo por dia, o que representa 0,74 kg de lixo por habitantes diariamente. “Temos em nosso estado 165 lixões e somente 8% dos municípios daqui possuem coleta seletiva”, disse a assessora, revelando ainda que em Parnamirim são produzidas 200 toneladas de lixo por dia, cerca de 0,8 quilos por habitante.

Luís Antônio Melo, da Secretaria de Meio Ambiente, também participou do evento e falou sobre a necessidade de um trabalho conjunto entre poder público, inciativa privada e comunidade para se conseguir uma conscientização ambiental que possa transformar a realidade dos resíduos sólidos produzidos. “Temos que unir e não apenas esperar que o poder público faça tudo sozinho. É preciso que cada um faça a sua parte”, disse.

A comunidade também esteve presente no evento. Justa Maria da Mata, 67, quis saber mais sobre o papel da Prefeitura na coleta do lixo. “Aqui no litoral não temos coleta seletiva. Vai adiantar separarmos o lixo reciclável”, questionou e ouviu a resposta de Rárika Bastos, que foi enfática ao dizer “a consciência ambiental começa a partir do momento que eu recolho o lixo para que ele não polua a minha casa, a praia, o mar e a minha cidade. Juntos podemos mudar, transformar e conquistar”, disse.

O casal Simone Martirelli e Paulo César Cardozo, que se mudaram recentemente para a praia de Cotovelo, fizeram questão de prestigiar o evento e se informar sobre os grandes produtores de lixo, como por exemplo, os condomínios. “Quero me informar porque estamos dispostos a ajudar”, disse a moradora.

Esam Elali sugeriu a produção de vídeos informativos sobre lixo e material reciclável para que possam ser compartilhados entre as pessoas pelas redes sociais. “Dessa forma poderíamos ter um alcance muito maior”, concluiu o presidente da Promovec.


Deixe um Comentário