CORONAVÍRUS

Prefeito de São Gonçalo rebate declaração do secretário de Natal e diz que momento é de união e não de politização

PREFEITO PALO EMÍDIO PEDE OFIM DA POLARIZAÇÃO E DIZ QUE O MOMENTO É DE UNIÃO

Durante entrevista ao radialista Luiz Almir, na 96 FM, manhã desta quinta-feira (25), o prefeito de São Gonçalo do Amarante/RN, Paulinho Emídio, rebateu declarações do secretário de Saúde do Natal, George Antunes, dizendo que como gestor público precisava esclarecer a “forma equivocada do secretário”. 

Segundo Paulinho, George teria afirmado que a capital potiguar está com leitos de covid-19 lotados porque está recebendo pacientes de São Gonçalo do Amarante após encerramento das atividades do hospital de campanha do município. 

“Isso não é verdade. O hospital era parceria com Governo do Estado e naquele momento a rede estadual tinha leitos clínicos disponíveis. A gente tinha 110 funcionários e chegou ao ponto de ter um ou dois pacientes por dia. Por esse motivo, com leitos disponíveis em outros lugares e pela falta de recursos para manter a estrutura, o Estado decidiu encerrar as atividades do campanha”, disse. 

Prosseguiu explicando que o município abriu 10 leitos clínicos no Hospital Belarmina Monte, e, nesta semana, o Governo do Estado, em parceria com a Prefeitura, reativou mais 10 leitos de UTI na unidade hospitalar. “Os leitos têm sido suficiente para nossa demanda que tem sido de no máximo cinco internações, graças a Deus”, destacou. Paulinho comparou a quantidade de leitos em Natal com a de São Gonçalo. “Se a gente for proporcionalizar, o município de Natal era pra ter aberto 160 leitos clínicos e 80, de UTI. Eu nunca precisei fazer essa comparação, mas eu fui provocado e como gestor público preciso esclarecer”. 

Detalhando os recursos públicos recebidos pelos dois municípios, Paulinho ainda comparou todos as receitas de Natal e São Gonçalo do Amarante durante 2020 e disse lamentar e não entender a postura do secretário. “Enquanto a receita total de São Gonçalo foi de 190 milhões, Natal foi de quase 2 bilhões de reais”.

“Mas eu queria dizer ao secretário que leitos de UTI não é a única solução para enfrentarmos a pandemia. Solução também é reforçar a atenção básica para evitar que as pessoas precisem de leitos de UTI. E isso São Gonçalo tem feito direto na raiz. Inclusive, convido vereadores de Natal e Ministério Público para visitar nossas unidades de saúde, conhecer nossas ações”, ressaltou. 

E pediu o fim da polarização: “O momento é de união. Precisamos nos unir para superar essa crise mundial de saúde. Não adianta politizar. Natal e São Gonçalo são coirmãs, separadas por um canteiro. Somos parceiros. Eu e o prefeito Alvaro Dias somos parceiros”.


Comente aqui