Política

‘Por favor!’: Michelle em 2020

MICHELLE OBAMA DISCURSA EM EVENTO FINAL DA CAMPANHA DE HILLARY CLINTON | CARLOS BARRIA/REUTERS

MICHELLE OBAMA DISCURSA EM EVENTO FINAL DA CAMPANHA DE HILLARY CLINTON | CARLOS BARRIA/REUTERS

Com a derrota de Hillary Clinton, os democratas se veem órfãos de uma liderança nacional capaz de recolher os cacos e reavivar a esperança do partido para a disputa de 2020 — a não ser, como imploram internautas, que a popular primeira-dama Michelle Obama assuma a dianteira da agremiação e se lance à Presidência.

O apelo à primeira-dama suscitou um movimento nas redes sociais logo que Donald Trump foi confirmado eleito. Um dos mais eloquentes cabos eleitorais de Hillary na campanha, Michelle ainda inspira o sonho de parte do eleitorado de ver uma mulher à frente da Casa Branca. O futura dela, embora incerto, não deve permear o mundo político, na visão do próprio marido.

Barack Obama garantiu à imprensa nacional que a mulher não tem “a paciência nem a vontade” de concorrer. Ela mesma já havia dito que pretendia levar adiante a luta por causas sociais — entre outras, em favor de apoio a veteranos de guerra e educação a meninas — sem que para isso precisasse de um posto em Washington. Mas os internautas não pretendem desistir até convencê-la do contrário.

“Oi, Michelle Obama. Você poderia, por favor, concorrer à Presidência em 2020? Os EUA precisam de alguém com senso na cabeça”, escreveu um internauta.

Tem usuário que já crava o sucesso, confiante de que o tuíte profético vá reaparecer na internet daqui a quatro anos.


Comente aqui