CORONAVÍRUS

População com rendimento menor representa maior parte de testados para covid-19 no RN

FOTO: ILUSTRAÇÃO

No Rio Grande do Norte, 10,7% da população chegou a fazer teste para saber se estava com covid-19. Isso corresponde a 377 mil pessoas testadas desde o início da pandemia. Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) covid19, de setembro, divulgados hoje (23) pelo IBGE.

Das 377 mil pessoas, 36% têm rendimento médio real entre meio salário mínimo a menos de um salário mínimo. Com a menor participação no total de testados do Rio Grande do Norte, a população com rendimento médio real de quatro ou mais salários mínimos representa 9,4%.

No Brasil, as pessoas na faixa de rendimento de um a menos de dois salários mínimos compõem o maior grupo de testados. Elas representam 32,6% do total.

Nordeste

Na região Nordeste, as pessoas com rendimento entre meio salário mínimo a menos de um salário mínimo correspondem a maior parte dos testados para o novo coronavírus, 35,6%.

A respeito do total da população testada, o Rio Grande do Norte (10,7%) está ao lado da Paraíba (10,3%) e Bahia (10,2%) com a terceira maior testagem. Somente no Piauí (17%) e Sergipe (12%) têm uma proporção maior da população testada para covid-19. O exame relatado na pesquisa pode ter origem na rede de saúde, na iniciativa privada, de iniciativa individual ou qualquer outra.

Elaborada para acompanhar o período de pandemia, a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) Covid19 apresenta dados sobre saúde, trabalho e comportamento relacionado ao período. Mensalmente, o IBGE divulga os resultados da pesquisa para Brasil, grandes regiões e unidades da federação.

Número de pessoas afastadas do trabalho devido ao distanciamento diminui

Em setembro, 65 mil pessoas ocupadas permaneciam afastadas do trabalho em razão do distanciamento social. Isso representa 5,5% das pessoas ocupadas no Rio Grande do Norte, a segunda maior proporção entre os estados do Nordeste e uma das cindo maiores do Brasil.

O número tem caído mês a mês desde o início da pesquisa em maio, quando 272 mil pessoas estavam condição. Em agosto, eram 84 mil trabalhadores afastadas do trabalho em razão do distanciamento social.

No Nordeste, 4,2% da população ocupada continua em distanciamento social, isto é, 773 mil pessoas. No Brasil, 3,6% da população ocupada estava nessa condição em setembro. Em números absolutos, são 3 milhões de pessoas.

Desocupação

No RN, a taxa de desocupação em setembro foi de 16,8%, estável em comparação a agosto. Em números absolutos, isso representa 238 mil pessoas.

No RN, isolamento rigoroso cai

O percentual da população que estava rigorosamente isolada caiu cerca de quatro pontos percentuais entre agosto e setembro. Em agosto, 23,7% dos potiguares estavam rigorosamente isolados. Em setembro, 19,8% permaneciam nessa situação, o que representa 701 mil pessoas.


Comente aqui