Política

PGR questiona Fátima se verba federal destinada a combate à covid teve outro uso

FOTO: REPRODUÇÃO/TWITTER

Em ofício enviado à governadora Fátima Bezerra, a Procuradoria Geral da República (PGR) questionou a governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra (PT), se houve realocação de verba federal destinada ao combate à pandemia para pagamento de outras despesas. A informação é da Folha de S.Paulo.

“Qual o valor efetivamente investido na saúde, na prevenção de casos e no combate à pandemia? Algum valor destinado à saúde (combate à pandemia) foi realocado para pagamento de outras despesas do Estado?”, perguntou a subprocuradora-geral Lindôra Araújo no documento, segundo o jornal.

As respostas teriam que ser assinadas “pessoalmente” pela governadora, pois “tal responsabilidade não pode ser atribuída a outros órgãos”.

Com informações do Portal Grande Ponto


1 Comentário

  • E tantos também morrendo pelo Covid-19… Falta de bons hospitais. Não só e apenas por aglomeração, não.

    Eis aí a pura e profunda realidade sociológica e filosófica:
    Com a “Copa das Copas®” do PT®, em vez de se construir hospitais, construiu-se prédios inúteis!
    A Copa das Copas®, do PT© e de lula©. Sempre se utiliza de propaganda, narrativas e publicidades sofisticadas e bem feitas para enganar e praticar lavagem-cerebral nos meios de comunicação. Não se desenvolve a imaginação.

    E hoje precisamos muito mais de eventos sérios e artísticos. De um Brasil que se perdeu nessa década de 2010 pra cá. Um mau gosto enorme dos políticos que vieram durante esse período. Sempre com um mau gosto imenso. E o país sem escola para novas gerações. Tudo foi por água abaixo — naturalmente.

    Excelentes escolas precisamos! Educação de 1ª. Necessitamos sim de educação como a de Helsinque, Europa, e da Coreia (do sul, naturalmente).
    Não precisamos de políticos tricksters. Precisamos de educação de qualidade no Brasil. Sobretudo das crianças pequenas.

    O que é trickster? “Trickster” é, na mitologia, e no estudo do folclore e religião, um deus, deusa, espírito, homem, mulher, ou animal antropomórfico que prega peças sem se perceber.

    É uma espécie de Malandro®. Um personagem que usa de astúcia, em vez de força ou autoridade, para realizar seus objetivos (escusos).

    Aí fiquei pensando nos personagens das historinhas que nos são contadas onde há dentro dessas historinhas essas sabedorias. Lembrei da raposa, com sua malandragem suave e dócil (fingida). E me lembrei do Lobo, de Chapeuzinho Vermelho.

Deixe uma resposta para Martha Hirsch Aulete Cancelar resposta