Economia

Petrobras reduz em 15% o preço da gasolina, mas nem COVID faz o Governo do RN baixar o ICMS

MESMO DIANTE DA PANDEMIA, GOVERNO INSISTE EM MANTER A MESMA COBRANÇA NOS COMBUSTÍVEIS. FOTO: ILUSTRAÇÃO

A Petrobras informou às distribuidoras que reduzirá o preço da gasolina nas refinarias a partir desta quarta-feira (25). A queda será em média de 15%. Esta é a décima vez que a petroleira diminuiu o preço do combustível este ano. A redução segue a queda do preço do petróleo no mercado internacional.

De acordo com a consultoria INTL FCStone, o aumento não foi linear, e em algumas praças o preço foi reduzido e R$ 0,20 centavos e em outras a queda foi ainda maior.

Apesar disso, a redução não é sentida, de fato, nas bombas em postos potiguares.

Em Natal, a média está hoje em R$ 4,50 – valor bem acima do que é cobrado em estados vizinhos, como Fortaleza, Paraíba e Pernambuco – o que leva muitos potiguares acreditarem na existência de um cartel no segmento, que acontece quando duas ou mais empresas, do mesmo ramo, atuam em conjunto para o controle do mercado onde estão inseridas.

Em Nota, o Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo (Sindipostos RN) nega qualquer cartelização no Estado e observa que cada revenda é livre (por força da legislação que rege o segmento no país) para compor seu próprio preço final de venda levando em conta seus custos próprios, que estão ligados a inúmeras variáveis como localização (já que o valor de mercado do terreno onde está o posto impacta no capital imobilizado), número de funcionários, horário de funcionamento e serviços extras oferecidos aos clientes.

Muitos proprietários de postos de combustíveis alegam que a queda anunciada pela Petrobras só não é repassada integralmente ao consumidor final (motoristas) devido à cobrança de imposto do Governo do RN. Será que no momento atual em que a economia atravessa, não seria sensato e razoável a governadora Fátima Bezerra reduzir o valor do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) ?



1 Comentário

  • Muitos proprietários de postos de combustíveis alegam que a queda anunciada pela Petrobras só não é repassada integralmente ao consumidor final (motoristas) devido à cobrança de imposto do Governo do RN. Será que no momento atual em que a economia atravessa, não seria sensato e razoável a governadora Fátima Bezerra reduzir o valor do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) ? Alguém sabe informar como é calculado o ICMS pelos postos ? qual a base de cálculo e aliquota ?

Deixe um Comentário