Cidades Geral Governo Polícia Segurança Social

Pesquisa mostra que violência mata mais os jovens em Natal

foto: Magnus Nascimento/ Arquivo Novo

foto: Magnus Nascimento/ Arquivo Novo

Um total de 3.769 jovens com idades entre 12 e 29 anos foram assassinados entre 2012 e 2015 no Rio Grande do Norte. Os números são do livro “Metadados 2016: Juventude Potiguar”, elaborado pelo professor Ivenio Hermes, coordenador de Informações Estatísticas e Análises Criminais (COINE) da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social.

O livro será lançado amanhã, durante reunião da Câmara Técnica de Mapeamento de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs), mas o NOVO antecipa os números neste domingo. A maior parte desses CVLIs, de acordo com a pesquisa, acontece em via pública. Além disso, 2.062 do total desses crimes ocorreu em ruas, avenidas, travessas e vielas, uma média de 3 jovens mortos no meio da rua a cada dois dias.

O livro é resultado de uma pesquisa realizada com bases estatísticas, que compreende o recorte histórico entre 2012 a 2015 e traça um perfil dos jovens mortos no RN. “Não podemos deixar de mencionar que esse livro é o primeiro de três obras e que ele reflete o melhor da pesquisa em segurança pública”, ressalta Ivenio Hermes, coordenador da Coine.

De acordo como Estatuto, os adolescentes mais vítimas são as pessoas que têm entre 12 e 14 anos; entre os jovens-adolescentes, aqueles entre 15 e 18; jovens-jovens pessoas com idades entre 19 e 24 anos e jovens-adultos entre 25 e 29 anos de idade. Do total de assassinados, 1.741 tinha entre 19 e 24 anos. É a faixa etária que mais morre vítima de violência.

O prefácio da obra lembra a história de Ronaldo Cordeiro de Morais, o jovem de 18 anos de idade que ganhou fama depois de ter um vídeo divulgado na internet. Na ocasião, Ronaldo ficando conhecido pelo bordão “Que onda é essa?”. O Metadados 2016 traz Ronaldo em sua abertura porque o rapaz, que foi morto a tiros em 23 de janeiro deste ano, é uma das ilustrações do perfil dos demais jovens assassinados no Rio Grande do Norte.

No que diz respeito à etnia, por exemplo, são os pardos, assim como Ronaldo, os mais atingidos. Segundo a pesquisa, 1.685 pardos foram assassinados entre 2012 e 2015. A população negra vem em aparece lugar, com 1.449 casos registrados no mesmo período, e a branca em terceiro, com 633. A maior parte das vítimas é homem, assim como Ronaldo. Da totalidade de 3.769 CVLIs de jovens, 3.575 aconteceu contra pessoas do sexo masculino. Foram 194 mulheres mortas no período.

Informações: Novo Jornal


Comente aqui