Famosos

‘Pé frio’, Mick Jagger critica Trump e Bolsonaro por política ambiental

MICK JAGGER COMPARECE À ESTREIA DA EXPOSIÇÃO EXHIBITIONISM, SOBRE A TRAJETÓRIA DOS ROLLING STONES. FOTO: CHRIS JACKSON/GETTY IMAGES

Mick Jagger encerrou nesse sábado sua participação no Festival de Cinema de Veneza com um ataque contra o presidente americano Donald Trump, a quem criticou por ter levantado os controles ambientais nos Estados Unidos. “Estou com os jovens que protestam contra as mudanças climáticas”, afirmou o músico em uma entrevista coletiva para apresentar o filme fora da competição The burnt Orange heresy (A heresia da laranja queimada, em tradução livre), dirigido pelo italiano Giuseppe Capotondi, no qual trabalha como ator.

A declaração de Jagger coincidiu com a ocupação do tapete vermelho em frente ao Palácio do Cinema. Centenas de jovens chamam a atenção para as mudanças climáticas e protestam contra os danos causados pela presença em massa de cruzeiros nos canais de Veneza.

“Estou feliz que protestem, eles herdarão o planeta” comentou Jagger, que considera que os Estados Unidos “perderam seu papel de líder mundial no controle do meio ambiente e estão seguindo em outra direção”, acrescentou.

O coprotagonista do filme, Donald Sutherland, repercutiu seu pedido de protesto e pediu às pessoas que saiam às ruas e não votem em pessoas como Trump ou o presidente brasileiro Jair Bolsonaro.

Veja


Deixe um Comentário