Cidades

Passeios de buggy são bem avaliados por turistas e potiguares, segundo pesquisa da Fecomércio RN

FOTO: CANINDÉ SANTOS

Os serviços dos passeios de buggy em Natal e região foram avaliados pelo Instituto Fecomércio Rio Grande do Norte. Os dados foram apresentados ao presidente do Sindbuggy RN, Hertz Medeiros, e ao coordenador da Câmara Empresarial do Turismo da Fecomércio RN (CET), George Costa. 

O presidente da Fecomércio RN, Marcelo Queiroz, reforçou o trabalho da Federação em apoiar as atividades que fazem o turismo no estado. “Esses números irão nortear o trabalho desenvolvido pela categoria, buscando aperfeiçoar o serviço prestado para atender não só o turista, mas os potiguares que fazem os passeios de buggy pelo nosso litoral”, afirmou Marcelo. 

Os números foram apresentados pelo diretor de Inovação e Competitividade, Luciano Kleiber, e trazem uma boa perspectiva aos bugueiros e passageiros. Quando avaliados sobre o atendimento dos bugueiros, 75,1% dos entrevistados elogiam o serviço, bem como a pontualidade (99,3%), empatia (67%), e conhecimento técnico e teórico (98,5%).  

Além disso, 78,1% dos turistas indicaram o passeio como ótimo, 20,9% indicaram como bom. Os que mais indicariam são os turistas das regiões Sul (88,9%) e Norte (88,9%). Ainda, 97% dos usuários revelaram que fariam o passeio de buggy novamente.  

No final, a nota que o usuário daria para o passeio realizado, de 0 a 10, 65,5% responderam a nota “Dez”; 23,2% responderam a nota “Nove”; 8,9% “Oito” e apenas 2,5% notas “Sete ou inferior”. 

“Essa pesquisa veio em uma boa hora para categoria e apresenta números satisfatórios. Vamos juntar os bugueiros, mostrar os dados e expandir essa nossa qualidade para o restante do litoral, e ainda, pleitear através dos números, melhorias e qualificação para os profissionais”, declarou Hertz Medeiros, presidente do Sindibuggy. A entidade representa mais de 720 bugueiros credenciados. 

O coordenador da Câmara Empresarial do Turismo, George Costa, comentou que, com os números apresentados pela Fecomércio, é possível mostrar aos poderes públicos e reafirmar o nível de relevância que a atividade tem para a cadeia turística.  

“São resultados satisfatórios que comprovam a qualidade do serviço. São profissionais que fazem bem o seu trabalho e ajudam na imagem do turismo do RN”, comentou Costa. 

Levantamento – O perfil do consumidor de passeios de buggy são homens, com 56,2%; com faixa etária de 25 a 34 anos (34,2%). A renda média individual dos usuários do passeio foi de 5,2 salários. 

Na amostra, um pouco mais de 46,1% dos usuários dos passeios eram da região Sudeste; 30,3% da região Nordeste; 11,1% da região Sul. A maioria eram pessoas vindas de São Paulo (26,8%), Pernambuco (13,5%); Minas Gerais (11,1%); Rio de Janeiro (7,9%). 

Dos turistas, 84,2% estavam fazendo o passeio de buggy pela primeira vez; 15,8% estavam repetindo o passeio. Entre os usuários que vieram de outros estados para fazer o passeio de buggy, o percentual dos que estavam fazendo pela primeira vez foi de 85,4%; já quando a análise é entre os usuários do RN, 53,9% já tinham feito o passeio em outras oportunidades. 

Para efetuar o passeio, 55,7% fizeram esta solicitação por agências de viagens; outros 9,6% pediram por intermédio do hotel; e pouco mais de um terço (34,2%) dos usuários disseram que contrataram os serviços diretamente com os bugueiros. 

Detalhando um pouco mais, os usuários que vieram de outros estados são, proporcionalmente, os que mais contratam os serviços por meio de agência/hotel (66,7%), enquanto os residentes no RN, na maioria das vezes, acertam o serviço diretamente com o bugueiro (84,6%). 

Em relação ao roteiro contratado para passeio, a maior fatia (37,2%) dos usuários optou pelo passeio completo até Muriú. Além disso, destaca-se a escolha por dunas móveis com fixas (31,3%); apenas dunas fixas (18,7%) e dunas fixas com pôr do sol (12,1%). 

O trajeto também foi avaliado, sendo 76,4% classificaram como ótimo, 21,9% como bom e 1,5% como regular. Por localidade, verificou-se que os usuários residentes em outros estados (76,9%) consideraram melhor o trajeto do que os usuários do RN (53,8%). 

As condições do buggy também foram questionadas, chamando atenção que só 50% dos turistas afirmaram ser ótimo o automóvel; 35% “bom” e 5% regular, ruim ou péssimo. Sobre os valores cobrados, 17% afirmaram que o preço foi ótimo, 54,9% responderam bom e 28,1% avaliaram como regular, ruim ou péssimo. 

A pesquisa ocorreu entre os dias 2 e 8 de setembro, entrevistando 406 usuários dos serviços de buggy in loco, em Natal, Genipabu e Jacumã. O erro amostral máximo atingido é de 4%, com intervalo de confiança de 95%. 

Portal Grande Ponto


Comente aqui