Cidades

Parnamirim é destaque em encontro da Rede Brasileira de Cidades Inteligentes em São Paulo

NA OCASIÃO, FOI APRESENTADA A TEMÁTICA TRABALHADA HÁ OITO ANOS EM PARNAMIRIM QUE É A TECNOLOGIA A SERVIÇO DO CIDADÃO

A Cidade de Parnamirim foi destaque no encontro anual da Rede Brasileira de Cidades Inteligentes e Humanas – RBCIH, dentro do Congresso Connected Samrt Cities, realizado em São Paulo, nos dias 17 e 18. O município foi representado pelo Secretário Adjunto do GCTI e vice-presidente nacional da Rede Brasileira de Cidades Inteligentes e Humanas, Dario Cândido de Medeiros.

Na ocasião, Dario de Medeiros, mostrou o que já foi implantado e o que está sendo realizado dentro do conceito de Cidades Inteligentes e Humanas aliado ao tema trabalhado ao longo de mais de oito anos em Parnamirim: A tecnologia a serviço do cidadão.

O tema do encontro foi “Os desafios para a implantação de projetos de Cidades Humanas, Inteligentes, Criativas e Sustentáveis (CHICS) para uma Administração Pública Inteligente”. E, foi apresentada a Iniciativa “Núcleos de Ativação e de Sustentabilidade das Cidades Inteligentes e Humanas” – NASCIH, projeto da Rede Brasileira de Cidades Inteligentes e Humanas (RBCIH) em parceria com o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações – MCTIC, bem como foram apresentadas discutidas as temáticas abaixo:

Painel 1: As iniciativas da Rede Brasileira de Cidades Inteligentes e Humanas – RBCIH O Projeto das “Cidades Humanas Inteligentes, Criativas e Sustentáveis” – CHICS e a iniciativa dos “Núcleos de Ativação e de Sustentabilidade das Cidades Inteligentes e Humanas” – NASCIH.

Painel 2: Projetos nos Municípios parceiros da RBCIH.

Painel 3: Projetos com Parceiros Internacionais.

Painel 4: Ações com os parceiros governamentais em Cidades Inteligentes.

“É muito gratificante participar de um evento deste, junto com cidades que tomamos como referência anos atrás e, comprovar que temos ações que já ultrapassam a dessas cidades. Estamos no caminho certo, só continuar avançando. O nosso Prefeito Rosano Taveira, tem apoiado e demonstrado sensibilidade a causa da ciência, tecnologia e inovação como um dos poucos caminhos hoje existente para geração de emprego e renda.” disse o secretário Dario Cândido.

Dentro do conceito apresentado NASCIH, que é a base para transformação de um município em uma Cidade Inteligente que tem como base a aplicação de tecnologias serviços e processos, procurando solucionar os principais problemas urbanos na medida que, modernizam e tornam mais eficientes os serviços públicos e a própria gestão municipal, com foco sempre na melhora de vida do cidadão, que lista 43 iniciativas a nossa cidade, já conta com 11 implantadas e 3 em andamento.

  • COI – Centro Operacional Integrado
  • IPI – Iluminação Pública eficiente e inteligente (Luminárias em led com possibilidade de gerenciamento)
  • MCV – Monitoramento por câmeras de vídeo
  • CIA – Controle inteligente de acessos
  • TAF – Detecção de tiros de armas de fogo por monitoramento
  • TTS – Tele medicina e Tecnologias da Saúde
  • TAE – Tecnologias Aplicada na Educação
  • API – Aplicativos de cidades inteligentes (Interação com a população, abertura chamados e serviços)
  • DCB – Data Center e Big Data
  • ITA – Infraestrutura de telecomunicação e dados avançada
  • TRS – Tratamento de resíduos sólidos urbanos.

Rede Brasileira de Cidades Inteligentes e Humanas – RBCUH

Criada em 2013, no âmbito da Frente Nacional de Prefeitos – que congrega as 350 maiores cidades brasileiras -, e reúne secretários e dirigentes municipais de ciência, tecnologia e inovação, bem como secretários municipais de desenvolvimento econômico.

A fim de criar um conceito comum e com características brasileiras sobre o tema, o evento reúne ainda universidades e setores da iniciativa privada para escrever um documento intitulado: “Brasil 2030: Cidades Inteligentes e Humanas”, que tem norteado nossas ações em todo o País. A partir desse documento, as instituições parceiras do setor acadêmico e da iniciativa privada passaram a fazer parte da Rede.

No ano de 2015, foi criada uma comissão Interministerial para tratar do assunto, coordenada pela ABDI (Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial) e da qual a Rede participa.

No ano de 2016, foi criada a Frente Parlamentar Mista em Apoio às Cidades Inteligentes e Humanas e estamos discutindo os avanços necessários em termos de legislação, para que se possa facilitar o desenvolvimento das cidades como Inteligentes e Humanas.

O conceito de Cidades Inteligente e Humanas que a Rede trabalha é:

As Cidades Inteligentes e Humanas são aquelas que se dotam de uma infraestrutura tecnológica interoperável, necessária para conectar todos os hardwares, softwares e aplicações existentes ou que venham a existir, de uma maneira que se transformem em uma plataforma que funcione como um nó que conecte todas as demais plataformas, permitindo à cidade que integre todos os dados e informações gerados, para ter um sistema de informações gerenciais aberto e transparente, de uma maneira que a tecnologia sirva de apoio à melhora da qualidade de vida das pessoas, sempre com sua participação em um processo co-criativo com o poder público”.

Connected Smart Cities

O evento envolve empresas, entidades e governos em uma plataforma que tem por missão encontrar o DNA de inovação e melhorias para cidades mais inteligentes e conectadas umas com as outras, sejam elas pequenas ou megacidades.


Comente aqui