Cidades

Parceria entre UFRN e Pulse investiga frequência e preferência de natalenses em exercícios físicos

FOTO: DIVULGAÇÃO

O que leva as pessoas a praticarem mais ou menos exercícios físicos? Quais os fatores associados? Para investigar estas e outras questões e melhorar resultados, o Grupo de Estudos em Biomecânica (GEBIO) da Universidade Federal do RN (UFRN) está realizando um trabalho em parceria com a academia Pulse.

Coordenador do GEBIO, o professor Leônidas Oliveira trabalha junto à equipe da academia para diagnosticar o perfil dos alunos e o que os leva a escolher determinadas atividades físicas. “Sabendo disso, é possível modificar os treinos, se necessário, para aumentar a frequência e melhorar os resultados”, explica.

A pesquisa também conta com a participação do Grupo de Estudos em Psicobiologia da Atividade Física (PsicoFisio) da UFRN, coordenado pelo professor Hassan Mohamed.

A Pulse investiu no setor de avaliação física, serviço aberto para qualquer aluno ou atleta, mesmo que não seja matriculado na academia. De forma propositiva, o procedimento vai indicar o tipo de atividade física mais indicado. “O percentual de gordura, por exemplo, não deve interferir na prescrição do treino”, explica Leônidas.

“Elencamos modelos de avaliações para modificar diretamente o treino desses alunos, prevendo a relação futura de melhoria da condição física”, afirma o professor. “Identificamos, por exemplo, desvios posturais, por que sente dor em alguma articulação, com uma avaliação prognóstica”.

Para Leônidas, é essencial atrelar os treinos ao que o aluno gosta de fazer e seus objetivos, em um modelo self-service. “Fazendo uma comparação, o exercício físico é um remédio necessário, mas não precisa ser amargo”, diz. “Escutar o aluno para perceber suas preferências faz toda a diferença”.


Comente aqui