Últimas do FM

Polícia

Ex-senador Luiz Estevão se entrega à Polícia no Distrio Federal

EX-SENADOR LUIZ ESTEVÃO DEIXA O IML DE BRASÍLIA APÓS PASSAR POR EXAMDE DE CORPO DE DELITO (FOTO: GUILHERME TIMÓTEO/TV GLOBO)

EX-SENADOR LUIZ ESTEVÃO DEIXA O IML DE BRASÍLIA APÓS PASSAR POR EXAME  DE CORPO DE DELITO (FOTO: GUILHERME TIMÓTEO/TV GLOBO)

O ex-senador já passou pelo exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal de Brasília, e aguarda a homologação do mandado de prisão para ser encaminhado ao Complexo Penitenciário da Papuda. Estevão cumprirá pena pela condenação, de 2006, imposta pela Justiça de São Paulo a 31 anos de prisão pelos crimes de corrupção ativa, estelionato, peculato, formação de quadrilha e uso de documento falso nas obras do Tribunal Regional do Trabalho de São Paulo. Dois dos crimes, quadrilha e uso de documento falso, podem estar prescritos e a pena final deve ser de 26 anos.

Chefe da Divisão de Comunicação da Polícia Civil, o delegado Paulo Henrique Almeida disse ao que Luiz Estevão chegou ao Departamento de Polícia Especializada às 6h, na companhia de três agentes. O político havia dito à reportagem que foi ao local junto com o advogado e que só se apresentou depois das 7h30. Ele disse “achar muito mais prático” buscar a unidade policial do que esperar que o buscassem em casa.

“Ele ligou para pedir para buscá-lo às 5h. Três policiais foram buscá-lo”, disse. “O delegado [Antônio Dimitrov] foi também, em um carro da polícia.”

Questionado nesta segunda à noite sobre a determinação da Justiça de que seja preso imediatamente, Estevão declarou que ele e a família já esperavam o início do cumprimento da pena em regime fechado. “Um dia ela viria. Podia ser hoje, daqui um mês ou amanhã.”

Perguntado se se arrependia dos desvios de verbas durante a construção do Tribunal Regional do Trabalho de São Paulo, ele disse que espera um dia contar sua versão do caso. “A história do TRT é muito mal contada. Espero ter tempo e saúde para um dia esclarecer”. Ele não quis dar detalhes sobre o assunto.

Estevão era senador pelo PMDB quando foi cassado, em 28 de junho de 2000, por 52 votos a 18. Dez senadores se abstiveram no dia. Quando os desvios apontados pelo Ministério Público ocorreram, o político era filiado ao PP.

Fonte: G1


Geral

Mãe revela que Rian Brito, neto de Chico Anysio, costumava tomar o chá do Santo Daime

RIAN E A MÃE, BRITA. (FOTO: REPRODUÇÃO : FACEBOOK)

RIAN E A MÃE, BRITA. (FOTO: REPRODUÇÃO : FACEBOOK)

Um dia após cremar o corpo de Rian Brito, neto de Chico Anysio, a mãe do jovem resolveu falar sobre o mistério que ainda cerca a morte do músico aos 25 anos. Ele foi encontrado morto por afogamento em uma praia de Quissamã, no Norte Fluminense, na última quinta-feira, após nove dias de sumido.

Em carta enviada com ao Jornal EXTRA, a atriz e cantora Brita Brazil relata que o filho costumava tomar a erva alucinógena indígena Ayhuasca (mais conhecido como Santo Daime), oferecido nos encontros da seita Porta do sol, cuja fundadora, no Rio, é a atriz Leona Cavalli. No fim de semana, o nome de Leona foi citado por Brita em seu Facebook e acabou gerando muitas especulações. Ontem, a própria atriz usou o seu perfil na rede social para dizer que nada tinha a ver com o sumiço de Rian e informar que teve um único encontro com ele e a mãe na sede da seita, em Pedra Branca, na Zona Oeste, em 2014.

Em resposta, Brita explicou que o filho frequentava os encontros da Porta do Sol havia um ano e quatro meses e que ele participou de quatro rituais. Ela afirma  que, desde então, Rian costumava “ouvir vozes do chá” e “procurar lugares bonitos para se isolar e meditar por dias”, mas “sempre voltava para casa”.

“… Com o convite de um grande amigo de infância, foram ao tal chá, e Rian começou a ficar sério, diferente, largou a música, coisa que fazia umas 13 horas por dia, perdeu o humor, e começou a ficar numa desenfreada mania de jejum e meditação. Sua aparência mudou totalmente. Seu jeito também. Ficou muito mais introspectivo. (…). O total foram 1 ano e 4 meses do mais profundo inferno que o Rian viveu. Ele perdeu sentido de tempo, grana, de absolutamente tudo”, narra Brita.

A mãe de Rian relatou ainda que, preocupada com o estado do filho, que não comia havia dias, decidiu visitar a sede carioca da Porta do Sol com ele, em dezembro passado, e que ela mesma tomou o tal chá com Rian, com o intuito de saber o que estava se passando com ele.

“…Para participar tem que pagar R$ 120, tomar o chá e ficar com os olhos fechados pra entrar em alfa. Na entrada, você dá o seu nome e assina um termo que diz que se você tomar tais remédios de psiquiatria, não pode fazer uso do chá, mas só neste caso. Como eu e Rian nunca tivemos, graças a Deus, nada a ver com psiquiatria, assinamos. Era a quarta vez dele, e a primeira (e última) minha. Mas como mãe, sabendo que íamos entrar em alfa, fiz o contrario, não fechei os olhos e dominei minha mente, para não deixar a lucidez, pois havia ido lá apenas pra saber porque meu filho estava num estado estranho e não comia praticamente nada. No meio da experiência de quatro ou cinco horas, você ingere primeiro um copo e durante a sessão mais duas doses pequenas que ficam te oferecendo mesmo que você esteja pra lá de Marrakesh. O Rian mal conseguia andar, e não falava coisa com coisa”.

No texto, a mãe de Rian explica que seu objetivo é fazer uma alerta sobre o uso da erva e afirma que não pretende processar ou culpar Leona Cavalli pela morte do filho.

“O que queria fazer, repetindo seu nome e te convidando para a primeira fila do crematório do meu filho, era pra que vc tomasse consciência do estrago que o chá de Ayhuasca pode gerar a uma família. Era pra você sentir por uma hora na pele, o que sentirei para toda curta vida que me resta. E, principalmente, que parasse não só você, como todas as Igrejas do Brasil, a fornecer esta química para as pessoas. Muitas pessoas podem ser alérgicas, incompatíveis quimicamente e disparar algo terrível em suas mentes pro resto de suas vidas…”.

Brita acredita, no entanto, que o motivo de o filho ter escolhido uma praia em Quissamã para meditar nada teve a ver com a seita.

— As fugas eram assim: o máximo que ele ia foi Arraial do Cabo. A voz que do chá que falava com ele. Tenho a impressão que ele escolheu um lugar perto, uma praia deserta no Rio de Janeiro para meditar e se isolar. Quissamã é um lugar superatraente —, acredita.

Fonte: Jornal Extra

Política

Câmara Municipal de Natal tem três cargos comissionados para cada efetivo

SÃO 746 SERVIDORES RECEBENDO SALÁRIOS E VANTAGENS FIXAS QUE SOMAM R$ 3,2 MILHÕES.) FOTO: EMANUEL AMARAL)

SÃO 746 SERVIDORES RECEBENDO SALÁRIOS E VANTAGENS FIXAS QUE SOMAM R$ 3,2 MILHÕES.) FOTO: EMANUEL AMARAL)

Após o escândalo dos cargos comissionados da Assembleia Legislativa, agora é a vez da Câmara dos vereadores de Natal também responder alguns questionamentos sobre a sua folha de pessoal. O assunto foi capa da edição impressa do Tribuna do Norte, que traz uma matéria onde mostra dados revelados no Portal da Transparência da casa.

São 746 servidores, sendo 551 são cargos comissionados, o que representa 73,8% do total de servidores. A CMN conta com 195 servidores  efetivos, segundo dados consultados no Portal. Porém, o site não informa sobre cargos e valores. Os salários dos 746 funcionários só são liberados individualmente e após preenchimento de cadastro. De acordo com a reportagem da Tribuna do Norte, somente fazendo uma análise detalhada das informações contábeis existentes no site, foi descoberto que os custos com pessoal aumentaram 94% entre janeiro de 2011 e janeiro de 2016. Passou de R$ 1,6 milhão para R$ 3,2 milhões/mês. Na Câmara Municipal de Natal são três cargos comissionados por cada servidor efetivo.

A falta de transparência no Portal foi motivo de críticas por parte do coordenador do Movimento de Combate à Corrupção do RN ( Marcco/RN), o Promotor Augusto Lima, que em visita à Câmara Municipal na tarde desta segunda-feira (08), sugeriu informações, como a disponibilização de novos dados no Portal da Transparência, entre eles uma lista completa de todos os funcionários para facilitar a consulta de informações. “Aproveitamos esse momento de participação social relativa à transparência para cobrar e sugerir à Câmara a inserção de outras  informações no Portal, solicitamos o acesso irrestrito sem o cadastro prévio e uma lista de todos os funcionários”, disse coordenador do Marcco/RN.

O próprio presidente da CMN, vereador Franklin Capistrano ( PSB), admite que a transparência no Portal não está 100%, mas afirma que está cumprindo a legislação. As adequaços sugeridas pelo Marcco/RN será apresentadas em 30 dias.

FONTE: TRIBUNA DO NORTE

FONTE: TRIBUNA DO NORTE


Geral

Violência doméstica mata cinco mulheres por hora diariamente em todo o mundo

ORGANIZAÇÃO PREVÊ QUE MASI DE  500 MIL MULHERES SERÃO MORTAS POR SEUS PARCEIROS ATÉ 2030. (FOTO: ARQUIVO/AGÊNCIA BRASIL)

ORGANIZAÇÃO PREVÊ QUE MASI DE 500 MIL MULHERES SERÃO MORTAS POR SEUS PARCEIROS ATÉ 2030. (FOTO: ARQUIVO/AGÊNCIA BRASIL)

A violência doméstica é responsável pela morte de cinco mulheres por hora no mundo, mostra a organização não governamental (ONG) Action Aid. A informação é resultado de análise do estudo global de crimes das Nações Unidas e indica um número estimado de 119 mulheres assassinadas diariamente por um parceiro ou parente.

A ActionAid prevê que mais de 500 mil mulheres serão mortas por seus parceiros ou familiares até 2030. O documento faz um apelo a governos, doadores e à comunidade internacional para que se unam a fim de dar prioridade a ações que preservem os diretos das mulheres. O estudo considera dados levantados em 70 países e revela que, apesar de diversas campanhas pelo mundo, a violência ou a ameaça dela ainda é uma realidade diária para milhões de mulheres.

“A intenção do relatório é fazer um levantamento sobre as diversas formas de violência que a mulher sofre no mundo. Na África, por exemplo, temos países que até hoje têm práticas de mutilação genital. Aqui, na América Latina, o Brasil é o quinto país em violência contra as mulheres. Segundo dados do Instituto Avon, três em cada cinco mulheres já sofreram violência nos relacionamentos em nosso país”, informa a assistente do programa de direitos das mulheres da Action Aid Brasil, Jéssica Barbosa.

O relatório considera as diferenças regionais entre os países e, além disso, observa o universo de denúncias subnotificadas, de mulheres que sofrem assédio, estupro ou outros tipos de violência e têm vergonha de denunciar.

“A forma de contar é sempre muito difícil, existe uma cultura de silenciar a violência contra a mulher. É a cultura da naturalização, onde há um investimento social para naturalizar a violência contra a mulher com o que se ouve na música, nas novelas, na rua. Tudo isso é muito banalizado e a mulher se questiona: ‘será que o que aconteceu comigo foi uma violência? Será que se eu denunciar vão acreditar em mim?”, diz Jéssica Barbosa.

No Brasil, a organização promove a campanha Cidade Segura para as Mulheres, que busca o compromisso do Poder Público com uma cidade justa e igualitária para todos os gêneros.

“Muitas mulheres não conseguem exercer seu direito de ir e vir. A cidade não foi pensada para as mulheres, os becos são muito estreitos e escuros no Brasil. É necessário que haja o empoderamento das mulheres para superar a situação de violência. Por mais que o Estado tenha a obrigação de garantir instrumentos, é preciso que a gente invista na autonomia dessas mulheres”, acrescenta Jéssica.

Fonte: Agência Brasil