Últimas do FM

Saúde

Casos de H1N1 no RN estão 78% inferiores a 2015

Os 9 casos suspeitos notificados em 2016 do vírus influenza (H1N1) representam uma redução de 78% nas notificações do mesmo período de 2015. A informação é da Subcoordenadoria de Vigilância Epidemiológica (SUVIGE), da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), que divulgou os dados relativos ao período compreendido entre as semanas epidemiológicas de 01 a 12 (3 de janeiro a 26 de março).

No ano passado, no mesmo período, foram 41 notificações. Até o momento, a Sesap confirmou 1 dos 9 casos e 1 óbito causado pela gripe H1N1, que vitimou uma jovem de 15 anos, residente no município de Lagoa Nova, que deu entrada no hospital no dia 27 de fevereiro e faleceu no dia 10 de março. Até o momento, o mês de maior casos suspeitos notificados foi março, com 4 das 9 notificações.

A Sesap está orientando a população a tomar as seguintes medidas de prevenção:

-Lavar as mãos com água e sabão, especialmente após tossir ou espirrar.

-Ao tossir ou espirrar, cobrir a boca com lenço descartável.

-Não compartilhar alimentos, copos, toalhas e objetos de uso pessoal.

– Lavar as mãos frequentemente e não levar as mãos sujas aos olhos, nariz e boca.

– Pessoas com qualquer gripe devem evitar ambientes fechados e com aglomeração de pessoas.

Deixe um Comentário

Política

Moro pede desculpas pela polêmica sobre a divulgação das escutas de Lula

MORO PEDE DESCULPAS PELA POLÊMICA SOBRE A DIVULGAÇÃO DAS ESCUTAS DE LULA – (FOTO:EDILSON DANTA / AGÊNCIA O GLOBO)

MORO PEDE DESCULPAS PELA POLÊMICA SOBRE A DIVULGAÇÃO DAS ESCUTAS DE LULA – (FOTO:EDILSON DANTA / AGÊNCIA O GLOBO)

Em documento enviado ao Supremo Tribunal Federal (STF) nesta terça-feira, 29, o juiz federal Sérgio Moro pediu desculpas três vezes pela polêmica que provocou ao divulgar diálogos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva gravados pela Polícia Federal (PF). Por outro lado, aproveitou a oportunidade para dizer também que vários dos telefonemas interceptados mostram tentativas de Lula em obstruir as investigações contra ele no âmbito da Operação Lava-Jato.

“Jamais foi a intenção desse julgador, ao proferir a aludida decisão de 16/03, provocar tais efeitos e, por eles, solicito desde logo respeitosas escusas a este Egrégio Supremo Tribunal Federal”, escreveu o juiz federal.

A divulgação do áudio, em especial aquele sugerindo que Dilma o nomeou ministro da Casa Civil para que pudesse evitar eventual prisão, esquentou a crise política. A conversa se tornou pública no dia em que houve confirmação da escolha de Lula para ser ministro.

O texto de Moro é uma resposta enviada ao pedido de informações feito pelo ministro do STF Teori Zavascki. O ministro determinou que toda a investigação contra Lula que corre na Justiça Federal do Paraná, sob os cuidados de Moro, fosse remetida ao STF. Nas conversas gravadas, há vários diálogos com autoridades que têm prerrogativa de foro, ou seja, que podem ser julgados apenas pelo STF. Uma delas é a presidente Dilma.

Moro diz que Lula pode ter tentado obstruir a Justiça. Para isso, recorreu diretamente a autoridades com foro privilegiado ou usou terceiros para isso. Entre as pessoas que poderiam ajudar estavam a presidente Dilma, o ministro da Fazenda, Nelson Barbosa, o então ministro da Casa Civil, Jaques Wagner, e parlamentares aliados. Moro destaca, porém, que não há provas de que essas eles tenham ajudado Lula, o que corroboraria a possibilidade de a investigação continuar na primeira instância, e não no STF.

Após reproduzir trechos de uma conversa entre Lula e Dilma, Moro defende a presidente. “Apesar desse diálogo interceptado ser relevante na perspectiva jurídico-criminal para o ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, já que indica o propósito de influenciar, intimidar ou obstruir a Justiça, no que se refere à Exma Presidente da República, não há qualquer manifestação dela assentindo com esse propósito, com o que não também não havia causa para, por conta dele, remeter o processo ao Supremo Tribunal Federal”, escreveu Moro.

Em relação a Barbosa, o juiz anotou: “Em cognição sumária, o ex-Presidente contactou o atual Ministro da Fazenda buscando que este interferisse nas apurações que a Receita Federal, em auxílio às investigações na Operação Lava Jato, realiza em relação ao Instituto Lula e a sua empresa de palestras. A intenção foi percebida, aparentemente, pelo Ministro da Fazenda que, além de ser evasivo, não se pronunciou acolhendo a referida solicitação”.

O Globo

Deixe um Comentário

Saúde

Ministério da Saúde confirma 944 casos de recém-nascidos com microcefalia

Boletim divulgado nesta terça-feira, 29, pelo Ministério da Saúde informa que 944 bebês nasceram com microcefalia e outras alterações do sistema nervoso, sugestivas de infecção congênita. Foram registrados 4.291 casos em investigação. Os números se referem a registros feitos entre outubro de 2015, quando o ministério começou a investigar a relação entre o vírus Zika e a microcefalia, e 26 de março desse ano.

Do total de 944 confirmados, apenas 130 tiveram exame laboratorial positivo para o Zika. Mas a área técnica do Ministério da Saúde tem defendido que 130 é número  menor do que o total de casos relacionados ao vírus. Isso ocorre porque o exame de laboratório para confirmar a ação do Zika não foi feito em todos os bebês.

bebe_com_microcefaliaDo total de 6.776 casos registrados de bebês com suspeita de terem a malformação, 1.541 foram descartados por apresentarem exames normais, ou apresentarem microcefalias e/ou alterações no sistema nervoso central por causas não infeciosas.

A maioria foi registrada na região Nordeste, (5.315 casos), o que corresponde a 78%, sendo o Pernambuco o estado com o maior número de casos que estão sendo investigados (1.207).

A microcefalia pode ter como causa diversos agentes infecciosos, além do Zika, como sífilis, toxoplasmose, rubéola, citomegalovírus e herpes viral.

Nesta semana, os estados do Acre, Amapá, de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul informaram a circulação autóctone do Zika. Dessa forma, todas as 27 unidades da Federação confirmam a circulação interna do vírus.

Agência Brasil

Deixe um Comentário


Política

Governo paga funcionalismo nos dias 4 e 5 de abril

SECRETÁRIO DE PLANEJAMENTO GUSTAVO NOGUEIRA JUSTIFICA AS DATAS COM IMPACTO PROVOCADO PELA CRISE ECONÔMICA NOS ESTADOS MAIS DEPENDENTES DO GOVERNO FEDERAL. ( FOTO: ASCOM/SEPLAN)

SECRETÁRIO DE PLANEJAMENTO GUSTAVO NOGUEIRA JUSTIFICA AS DATAS COM IMPACTO PROVOCADO PELA CRISE ECONÔMICA NOS ESTADOS MAIS DEPENDENTES DO GOVERNO FEDERAL. ( FOTO: ASCOM/SEPLAN)

O Governo do Estado vai pagar o funcionalismo nos dias 4 e 5 de abril. Os aposentados e pensionistas terão seus vencimentos depositados na próxima segunda-feira (4), enquanto os servidores ativos receberão os salários na terça-feira (5).

A justificativa do executivo para as datas de pagamento da folha referentes ao mês de março é o momento da economia no país, que segundo o governo, tem gerado  graves consequências para os Estados que mais dependem das transferências federais.

Os repasses da União ao Rio Grande do Norte, no acumulado de janeiro a março de 2016, confirmam uma queda de 14,55% em relação ao mesmo período do ano passado. Somente a frustração dos royalties nos três primeiros meses do ano já chega a 40,46% se comparado a janeiro, fevereiro e março de 2015.

As transferências do Fundo de Participação dos Estados também caíram 13,64% no acumulado dos primeiros três meses do ano em relação a 2015, que já foi inferior a 2014. O secretário de Estado do Planejamento e das Finanças Gustavo Nogueira afirma que o momento da economia brasileira é muito delicado e ressalta o esforço do Governo em priorizar o pagamento do funcionalismo.

“Os estados menores que dependem mais das transferências federais precisam que a economia brasileira reaja e isso não vem acontecendo. Em que pese as dificuldades, o Governo tem conseguido pagar a folha nos primeiros dias do mês subsequente, conforme previsto em lei. Continuaremos trabalhando e torcendo para que essa realidade mude o mais rápido possível”, afirmou.

Deixe um Comentário

Geral

Instagram permitirá gravar vídeos de até 60 segundos

ATUALMENTE, OS USUÁRIOS PODEM GRAVAR VÍDEOS DE 15 SEGUNDOS. (FOTO: VEJA)

ATUALMENTE, OS USUÁRIOS PODEM GRAVAR VÍDEOS DE 15 SEGUNDOS. (FOTO: VEJA)

O Instagram informou nesta terça-feira que a partir dos próximos meses os usuários poderão gravar vídeos de até 60 segundos. O recurso é uma iniciativa para ampliar o uso de vídeos, que, até então, poderiam ser de até 15 segundos para usuários regulares e 30 segundos para anunciantes. A ampliação foi feita principalmente para atrair ainda mais anúncios publicitários para a rede social.

Apesar de ainda não estar liberado, os vídeos de até 60 segundos já foram estreados no Brasil pela cantora Marisa Monte. A carioca divulgou em sua conta no Instagram um vídeo de sua versão da canção Nú Com A Minha Música, de Caetano Veloso.

Fonte: Veja

Deixe um Comentário

Política

Ministro do PMDB diz que quer continuar na pasta de Ciência e Tecnologia

O MINISTRO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO, CELSO PANSERA, DESTACA NO SENADO QUE É CONTRA A SAÍDA DO PMDB DO GOVERNO (JOSÉ CRUZ/AGÊNCIA BRASIL)

O MINISTRO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO, CELSO PANSERA, DESTACA NO SENADO QUE É CONTRA A SAÍDA DO PMDB DO GOVERNO (JOSÉ CRUZ/AGÊNCIA BRASIL)

No mesmo dia em que o PMDB anunciou o rompimento com o governo Dilma Rousseff, o ministro de Ciência, Tecnologia e Inovação, Celso Pansera, compareceu na Comissão de Ciência e Tecnologia do Senado para tratar dos desafios da pasta este ano. Pansera ocupa um dos sete ministérios sob o comando do PMDB e é um dos que sempre defenderam a permanência do partido no governo.

Perguntado pelo presidente da comissão, senador Lasier Martins (PDT-RS), sobre como ficaria a pasta diante da decisão do partido de deixar a base governista, Pansera, que está licenciado do mandato de deputado federal desde que foi empossado ministro (outubro do ano passado), destacou que é contrário ao impeachment. “Como deputado vou votar contra, eu acho que não existe ainda fato que determine o impeachment, essa é uma batalha minha.”

O ministro disse ainda que não se convenceu dos argumentos apresentados ontem (28) pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) no novo pedido de impedimento da presidenta da Dilma Rousseff, protocolado na Câmara dos Deputados.

Ministério

Sobre sua permanência na pasta, Celso Pansera disse que ontem passou o dia em reuniões. Esteve com a presidenta Dilma Rousseff, com o vice-presidente da República, Michel Temer, e com deputados peemedebistas contrários ao impeachment.

“Estamos cuidando do ministério e vamos ter serenidade para avaliar os próximos fatos. Não acho que a luta política tem que ser levada a esse extremo de você desmontar equipes que estão tocando ministérios”, destacou. “Comuniquei essa minha disposição à presidenta e dependendo da resolução ela que vai nos convidar ou não a permanecer. Também comuniquei ao vice-presidente a minha disposição. Por mim, a minha equipe continua trabalhando lá no ministério até que essa crise tenha um desfecho”, acrescentou.

O ministro ressaltou ainda que vai manter a agenda de trabalho normalmente.

Agência Brasil

Deixe um Comentário

Polícia

CPRE apreende dois quilos de maconha em Pium no município Parnamirim

DROGA FOI ENCONTRADA EM POSSE DE DUPLA QUE FOI DETIDA E ENCAMINHADA PARA DELEGACIA DA ZONA SUL EM NATAL. ( FOTO: ASSECOM/SESED)

DROGA FOI ENCONTRADA COM DUPLA QUE FOI DETIDA E ENCAMINHADA PARA DELEGACIA DA ZONA SUL EM NATAL. ( FOTO: ASSECOM/SESED)

Policiais do Comando de Polícia Rodoviária Estadual (CPRE) por meio da equipe do 1º Distrito que atuam na barreira em Pium apreenderam na noite desta segunda-feira (28) dois quilos de maconha que estava de posse de Raimundo Souza Júnior, de 24 anos e Alisson Felipe A. de Souza, de 19 anos.

A dupla foi detida após uma abordagem a um veículo tipo Pálio onde havia quatro pessoas. Na revista pessoal a droga foi encontrada e os dois suspeitos assumiram a posse do entorpecente. Os detidos e o material apreendido foram encaminhados à Delegacia de Plantão da zona Sul de Natal para o registro da ocorrência e demais providências.

Deixe um Comentário


Política

“Não estou em saia justa”, diz Kátia Abreu sobre PMDB

MINISTRA É AMIGA PESSOAL DA PRESIDENTE DILMA. (FOTO: VALTER CAMPANATO/AGÊNCIA BRASIL)

MINISTRA DA AGRICULTURA É AMIGA PESSOAL DA PRESIDENTE DILMA. (FOTO: VALTER CAMPANATO/AGÊNCIA BRASIL)

Diante do rompimento do PMDB com o governo e do impeachment da presidente Dilma Rousseff, a ministra da Agricultura, Kátia Abreu, não quis cravar se seguirá o partido e deixará o posto.

Durante entrevista à rádio CBN, ela fez uma defesa inflamada da presidente e contra o processo de impeachment em andamento no Congresso, mas afirmou que após a decisão do PMDB ser tomada, ela fará uma avaliação do cenário e anunciará sua decisão.

“Não estou em saia justa, tenho plena consciência das pressões e contrariedades”, afirmou.

 

Kátia Abreu tentou adotar um tom democrático durante a entrevista. Disse que impeachment existe na Constituição e que não é golpe, se feito dentro do que determina a lei.

Semelhante ao que tem defendido o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), nas últimas semanas, ela argumentou que não há crime de responsabilidade que possa justificar a deposição da presidente e que, se o impeachment for feito baseado com o que há hoje, pode ser classificado de golpe.

“Nós, o Brasil, não temos o direito de ser imprudentes com impeachment”, afirmou. Segundo ela, se for tirar todo gestor eleito que se tornou impopular, terá de ser feita uma devassa nos governos dos Estados e nas prefeituras.

Ela admitiu, ainda, que a presidente cometeu erros na economia, que há raiva contra o Partido dos Trabalhadores (PT), mas pediu que as coisas sejam avaliadas de maneira técnica. “O governo errou na economia? A presidente é impopular? As pessoas estão com raiva do PT?”, questionou, para ela mesma responder em seguida. “Isso é fato”, disse.

A ministra também fez críticas ao Tribunal de Contas da União (TCU) e ao peso que se tem dado às pedaladas. “Como já escreveu o ex-ministro Delfim Netto, pedaladas se praticam desde Dom João VI no Brasil. Isso não é suficiente para se tirar a presidente”, defendeu.

A ministra argumentou que, diante do histórico de pedaladas de outros presidentes, que gostaria de que O TCU não usasse dois pesos e duas medidas.

“A lei não pode retroagir para prejudicar, como o TCU, tendo aprovado contas de presidentes que pedalaram, não pôde aprovar as dela?”, questionou. Para ela, não interessa o tamanho da pedalada, se é crime para um, tem de ser para todos os outros.

“Eu não vejo e não encontro nenhuma desonestidade que possa levar ao impeachment da presidente Dilma Rousseff”, garantiu.

Para ela, mesmo a saída da presidente, os problemas econômicos não vão se resolver, muita coisa precisa ser feita. Ela salientou que o impeachment não é a solução.

Kátia Abreu observou que conversa com a presidente todos os dias e que ela está confiante no Judiciário e no Congresso que, quando fizerem a análise do processo, vão entender que não há crime ou motivos para impeachment.

Fonte: Exame

 

Deixe um Comentário

Política

STF analisa nesta quinta-feira se processos contra Lula ficam com Moro

MINISTRO TEORI ZAVASCKI, RELATOR DO PETROLÃO NO SUPREMO

MINISTRO TEORI ZAVASCKI, RELATOR DO PETROLÃO NO SUPREMO

Está marcada para esta quinta-feira, 31, a análise no Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a decisão liminar (provisória) do ministro Teori Zavascki, relator do petrolão no Supremo, que decretou sigilo sobre os grampos telefônicos que flagraram diálogos entre a presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Lula.

Em sua decisão, Teori também pediu que o juiz federal Sergio Moro, responsável pelas ações da Operação Lava Jato em Curitiba (PR), enviasse à Corte todas as investigações sobre o ex-presidente e não apenas as ligações telefônicas interceptadas, como ele havia decidido. Dessa forma, também foram enviadas as apurações sobre ocultação patrimonial em relação ao sítio de Atibaia (SP) e ao tríplex no Guarujá, no litoral paulista.

A perspectiva é de que o colegiado apenas referende a decisão de Teori e não discuta o mérito do caso, já que o ministro pediu manifestações de Moro e da Procuradoria-Geral da República, mas os ofícios ainda não chegaram ao Supremo. O despacho foi proferido na semana passada e atendeu a recurso protocolado pela Advocacia-Geral da União. Por causa da liminar, considerada benéfica ao governo, Teori passou a ser alvo de críticas de defensores do afastamento da presidente Dilma Rousseff.

A decisão do ministro não afetou a suspensão da posse de Lula na Casa Civil, determinada pelo ministro Gilmar Mendes. A situação sobre se o petista poderá ou não assumir o cargo continuará indefinida até que Gilmar Mendes libere o tema para ser julgado pelos colegas, o que não deve acontecer até esta quinta, uma vez que ele está em Portugal.

Fonte: VEJA – (Com Estadão Conteúdo)

Deixe um Comentário