Últimas do FM

Política

Reforma previdenciária: após críticas, comissão fará mais audiências

O COLEGIADO ACERTOU A INCLUSÃO DE MAIS QUATRO AUDIÊNCIAS ÀS NOVE PREVISTAS NO ROTEIRO DE TRABALHO ORIGINAL/ FOTO LÚCIO BERNARDO JUNIOR

O relator na comissão especial que analisa a reforma da Previdência, deputado Arthur Maia (PPS-BA), disse hoje (22) que deve divulgar seu relatório no fim de março. Inicialmente, a previsão era que o texto fosse apresentado à comissão no dia 16, mas diante das críticas sobre a pressa na discussão da proposta, o colegiado acertou a inclusão de mais quatro audiências às nove previstas no roteiro de trabalho original, além de um seminário.

A ampliação do debate já vinha sendo reivindicada por parlamentares da oposição e também da base aliada do governo. Ontem (21) entidades sindicais também criticaram o cronograma e acusaram a comissão de querer aprovar a reforma a “toque de caixa”.

“Essa [inclusão de novas audiências] é uma demonstração clara de que não há nenhum desejo de deixar de discutir um ponto que seja importante e a prova disso é que fomos convencidos de que era preciso incluir mais quatro audiências públicas, três delas da oposição”, disse Maia, que descartou a inclusão de mais audiências além das acatadas hoje.

“Não haverá mais nenhuma alteração do ponto de vista de acréscimo. O fato é que essas audiências estão limitadas. Não haverá mais nenhum acréscimo e me comprometo tão logo se encerre a realização das audiências, a apresentar o parecer”, afirmou.

Com a nova agenda, o colegiado fará três audiências por semana, e não duas, como estava previsto inicialmente.

DIVISÃO DE TEMAS

Alguns temas foram desmembrados para ampliar o debate e agora serão assunto de audiências separadas, como o “equilíbrio financeiro da Previdência”, que foi dividido em “situação presente” e “modelos de projeção para o futuro”. A comissão também separou audiências sobre aposentadorias para mulheres, pensão por morte, entre outros temas.

A próxima audiência da comissão será no dia 7 de março e abordará critérios diferenciados para aposentadoria. Caso o novo cronograma anunciado por Maia seja cumprido, a última audiência deve ocorrer no dia 28 de março.

O relator não quis comentar alterações no texto enviado pelo Planalto, mas disse que irá se reunir com técnicos do governo para debater questões técnicas, que não alteram o mérito da proposta. “São detalhes materiais que não tratam do mérito, mas que precisam ser tratados. Amanhã vou me reunir com técnicos do governo para mostrar essas inadequações”, disse. “Vamos começar a delinear quais seriam as possíveis modificações”, acrescentou.

 

Fonte: Agência Brasil

Comente aqui


Governo

STF autoriza TJ a repassar recursos para o Governo do RN

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO RIO GRANDE DO NORTE QUER REPASSAR R$ 100 MILHÕES PARA O ESTADO/ FOTO DIVULGAÇÃO

O Supremo Tribunal Federal (STF) autorizou a transferência de recursos do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte para o Governo do Estado. A decisão é do ministro Marco Aurélio e suspende o efeito da decisão do CNJ que em fevereiro deste ano impediu o TJRN de “transferir, emprestar ou doar recursos do judiciário potiguar ao governo do estado”.

Em outubro de 2016 o então presidente do TJRN, desembargador Cláudio Santos, anunciou a intenção de transferir R$ 100 milhoes ao governo do RN. O dinheiro deveria ser utilizado para pagar diárias da Polícia Militar, cirurgias e outras despesas dos hospitais públicos do Rio Grande do Norte.

No entanto, a Associação dos Magistrados do Rio Grande do Norte (AMARN) entrou com uma ação no Conselho Nacional de Justiça para tentar impedir a transferência dos recursos. O CNJ acatou o pedido e alegou que o recurso tratava-se de sobra orçamentária – como são chamados os valores previstos no orçamento anual que por algum motivo não chegam a ser inteiramente utilizados – e que não poderia ser repassada do Judiciário a outro poder.

O estado recorreu ao STF e o ministro Marco Aurélio suspendeu a decisão do CNJ em caráter liminar. Na decisão, ele ressaltou que “o excedente orçamentário, livre e desvinculado de destinação legal específica, uma vez não restituído aos cofres do Tesouro, deveria ter sido deduzido da importância a ser repassada, ao Poder Judiciário, na forma de duodécimos. Essa é a prática no Executivo federal, consoante consignado pela Secretaria do Tesouro Nacional, em Nota Técnica juntada ao processo. O saldo mantido com o Poder superavitário é tratado como antecipação de repasse”.

No ano passado, por iniciativa da Presidência do TJRN, o Plenário da corte deu autorização para o Judiciário emprestar R$ 20 milhões ao Executivo local, operação que seria avalizada em julho pelo Legislativo local e finalmente formalizada com a abertura de crédito suplementar em novembro.

 

Fonte: G1

Comente aqui


Saúde

OMS: depressão afeta mais de 300 milhões e números estão aumentando

MAIS DE 300 MILHÕES DE PESSOAS DE TODAS AS IDADES SOFRAM COM A DOENÇA NO MUNDO/ FOTO DIVULGAÇÃO WEB

O número de pessoas que vive com depressão está aumentando – 18% entre 2005 e 2015, segundo dados divulgados hoje (23) pela Organização Mundial da Saúde (OMS). A estimativa é que, atualmente, mais de 300 milhões de pessoas de todas as idades sofram com a doença no mundo. O órgão alertou que a depressão é a principal causa de incapacidade laboral no planeta e, nos piores casos, pode levar ao suicídio.

A depressão será o tema de maior destaque a ser tratado no Dia Mundial da Saúde, coordenado pela OMS e lembrado no próximo dia 7 de abril.

“A depressão é diferente de flutuações habituais de humor e respostas emocionais de curta duração aos desafios da vida cotidiana. Especialmente quando de longa duração e com intensidade moderada ou severa, a depressão pode se tornar um sério problema de saúde”, destacou a organização em comunicado. Os dados mostram que quase 800 mil pessoas morrem em razão de suicídios todos os anos, a segunda principal causa de morte entre jovens de 15 a 29 anos.

A organização também alertou que, apesar da existência de tratamentos efetivos para a doença, menos da metade das pessoas afetadas pela condição no mundo – e, em alguns países, menos de 10% dos casos – recebe ajuda médica. As barreiras incluem falta de recursos, falta de profissionais capacitados e o estigma social associado a transtornos mentais, além de falhas no diagnóstico.

“O fardo da depressão e de outras condições envolvendo a saúde mental está em ascensão em todo o mundo”, concluiu a OMS, ao cobrar uma resposta compreensiva e coordenada para as desordens mentais por parte de todos os países-membros.

 

Fonte: Agência Brasil

Comente aqui

Geral

Nomeado por Temer, Moraes tomará posse no STF em 22 de março

O PRESIDENTE MICHEL TEMER EXONEROU ALEXANDRE DE MORAES DO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA E O NOMEOU PARA O STF (SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL)/ FOTO ALAN MARQUES

A nomeação foi oficializada em edição extra do Diário Oficial da União, publicada na tarde desta quarta (22), apenas quatro horas depois da aprovação de seu nome pelo Senado, por 55 votos a favor e 13 contra.

A posse de Moraes foi marcada para 22 de março -o prazo é de até 30 dias após a nomeação ser publicada no Diário Oficial da União.

O novo ministro ocupará a vaga de Teori Zavascki, morto em acidente aéreo em 19 de janeiro.

Na terça (21), o nome dele havia sido aprovado por 19 votos a 7 na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça), após 11 horas e meia de uma repetitiva sabatina.

 Filiado ao PSDB até o momento em que foi indicado por Temer para a vaga, Moraes foi secretário da Segurança Pública de São Paulo.

Ele será revisor na Corte dos processos relacionados à Operação Lava Jato, que tem como alvos alguns dos senadores que o aprovaram nesta manhã, caciques do partido ao qual era filiado e integrantes do governo do qual fez parte até a indicação.

Para a oposição, Temer indicou Moraes ao STF justamente para blindar o governo da investigação.
Ele negou reiteradas vezes que suas relações anteriores influenciarão seu comportamento como ministro da Suprema Corte.

Moraes negou que haja um “desmonte” da operação, que tem como alvo 9 dos 51 senadores que integram a CCJ, e disse que os delegados que deixaram a força-tarefa da operação o fizeram por vontade própria.

 

FONTE: FOLHA

Comente aqui

Política

Raniere Barbosa recebe visita de presidentes de Câmaras do RN e discute fortalecimento do Parlamento

NA REUNIÃO TAMBÉM FORAM DEBATIDAS QUESTÕES COMO O FORTALECIMENTO INSTITUCIONAL DOS PARLAMENTOS

Uma comitiva de presidentes de Câmaras Municipais realizou visita de cortesia à Câmara Municipal de Natal, onde foi discutida uma pauta que envolveu a ampliação das ações da Federação das Câmaras Municipais do Estado – Fecam, além da filiação dos poderes legislativos das cidades de Carnaúba dos Dantas e Extremoz. Também foram debatidas questões como o fortalecimento institucional dos parlamentos e a oferta de cursos de formação continuada para vereadores, assessores e servidores.

Presidente da Câmara de Natal e que também preside a Fecam, o vereador Raniere Barbosa (PDT) destacou o crescimento da Federação. “Trata-se de uma parceria que visa o desenvolvimento dos filiados por meio da valorização das câmaras e dos vereadores”, afirmou o presidente, que destacou: “Interpretar as demandas locais cabe ao legislativo municipal, que constitui o poder político mais próximo da população”.

De acordo com o presidente da Câmara de Carnaúba dos Dantas, vereador José de Azevedo Dantas, o ingresso na entidade representa uma oportunidade de avanço para o município. “O momento, mais do que nunca, é de união. E a união faz a força!”, comemorou o parlamentar. Já o presidente da Câmara de Extremoz, vereador Fábio Vicente, ressaltou a troca de experiências entre as casas legislativas. “Procuramos instituições de credibilidade, como a Fecam, para melhorar nossa atuação enquanto agentes públicos”.

Estiveram presentes no encontro, realizado nesta quarta-feira, 22, os presidentes das Câmaras de Caicó, Odair Diniz, Jardim do Seridó, Iron Júnior, Santa Cruz, Monik Melo, São Paulo do Potengi, Allysson Lindalrio, São Tomé, Josinaldo Amaro (GÁ), e Serra Negra do Norte, Flávio Barros. A vereadora de Natal, Ana Paula (PSDC), também participou da recepção à delegação.

Comente aqui

Governo

Fábio Dantas, governador em exercício, sanciona reajuste de 7,64% para o Magistério

 

SANCIONADA PELO GOVERNADOR EM EXERCÍCIO FÁBIO DANTAS, A LEI COMPLEMENTAR Nº 592 SERÁ PUBLICADA NO DIÁRIO OFICIAL NESTA QUINTA-FEIRA, 23.

O projeto de lei do Governo do Estado que reajusta os vencimentos básicos do Magistério em 7,64% foi aprovado por unanimidade em sessão plenária na Assembleia Legislativa, nesta quarta-feira (22), e sancionado imediatamente pelo governador em exercício, Fábio Dantas. A Lei Complementar nº 592 será publicada no Diário Oficial do Estado (DOE) nesta quinta-feira, 23.

“O Governo do Estado está instituindo o piso nacional da categoria, seguindo a legislação federal. É uma forma de reconhecer a importância dos nossos professores para a educação pública”, afirmou Fábio Dantas.

O reajuste beneficia professores e especialista de Educação que desempenhem atividades de docência ou as de suporte pedagógico à docência nas Unidades Escolares de Educação Básica e da Secretaria de Estado da Educação e da Cultura (SEEC), incluindo as Diretorias Regionais de Ensino e Cultura (DIREC). Estão contempladas as funções da direção; administração; planejamento; inspeção; supervisão; orientação e coordenação.

Comente aqui

Polícia

Chefes do tráfico no Rio vão à OEA para denunciar “tortura e pena cruel”; um deles é Elias Maluco

O traficante Elias Maluco (à direita) em foto de 2010

O TRAFICANTE ELIAS MALUCO (À DIREITA) EM FOTO DE 2010, FAMOSO POR TER MATADO O JORNALISTA TIM LOPES

Quatro chefes do tráfico de drogas no Rio de Janeiro entraram com uma petição na CIDH (Comissão Interamericana de Direitos Humanos), órgão da OEA (Organização dos Estados Americanos), em que classificam como “tortura e pena cruel” o fato de estarem detidos em presídios federais de segurança máxima há dez anos. Nessas unidades, os presos devem permanecer 22 horas por dia encarcerados em celas individuais e são monitorados por câmeras o tempo todo.

Um dos quatro traficantes é Elias Maluco (Elias Pereira da Silva), famoso por ter sido condenado pelo assassinato do jornalista Tim Lopes, em 2002. Os outros são Marcinho VP (Márcio dos Santos Nepomuceno), My Thor (Marco Antônio Pereira Firmino da Silva) e Tchaca (Márcio José Guimarães).

Os quatro foram condenados por crimes como homicídio, tentativa de homicídio, tráfico de drogas e lavagem de dinheiro. VP, Elias Maluco e Tchaca estão presos na penitenciária federal de Mossoró (RN), enquanto My Thor está detido na de Catanduvas (PR).

Segundo a lei 11.671/2008, a inclusão de um preso em uma unidade federal de segurança máxima “será excepcional e por prazo determinado”. O texto também diz que a permanência nesses presídios deve durar no máximo 360 dias e pode ser renovada “excepcionalmente”, mediante decisão judicial, após pedido do governo do Estado ou do Ministério Público.

No entanto, a lei não define o que seria excepcional e não coloca um limite para as renovações.

A defesa dos quatro criminosos alega que não há nenhum fato novo que justifique as sucessivas renovações da permanência em presídios federais, tornando “regra o que era excepcional e provisório”.

Marcinho VP, Elias Maluco, My Thor e Tchaca foram transferidos primeiramente para o presídio federal de Catanduvas em janeiro de 2007. Eles são suspeitos de envolvimento em uma onda de ataques criminosos ocorridos no Rio na última semana de 2006, quando ônibus foram queimados e postos policiais, metralhados. Ao menos 19 pessoas foram mortas.

O UOL teve acesso às decisões da Justiça do Rio que autorizaram a transferência e a permanência de Marcinho VP em presídios federais, sempre a pedido da SSP-RJ (Secretaria de Segurança Pública do Rio de Janeiro), com concordância do Ministério Público.

A última delas, dada em 12 de dezembro de 2016, cita trechos de um relatório de inteligência da SSP-RJ segundo o qual Marcinho VP teria participado da elaboração de um plano, em novembro de 2015, para “assassinar desafetos”. A secretaria considera “fundamental” a permanência do traficante no presídio federal, já que o criminoso –mesmo na cadeia– “ainda seria um dos líderes da organização criminosa Comando Vermelho”.

Já segundo a Justiça, manter VP fora do Rio “é um importante obstáculo ao fluxo de comunicações entre tais líderes e seus comandados, (…) o que viabiliza a continuidade da austera política de segurança pública implementada pelas autoridades fluminenses.”

A petição endereçada à CIDH, divulgada ao UOL pela própria defesa, chega a comparar a prorrogação da permanência dos traficantes em presídios federais à pena de banimento, proibida pela Constituição. As advogadas dos quatro detentos, Paloma Gurgel e Verena Cardoso, também questionam a possibilidade de reabilitação de presos detidos em tais circunstâncias ao longo de dez anos.

A defesa ainda afirma que os presos, todos do Rio de Janeiro, poderiam ser transferidos para a prisão de Bangu 1, de segurança máxima, similar às federais. Foi justamente de Bangu 1 que VP e Elias Maluco teriam ordenado os ataques de dezembro de 2006.

As advogadas pedem que a CIDH declare que o Brasil violou a Convenção Americana de Direitos Humanos, ratificada pelo país. Ainda segundo a defesa, a comissão deve recomendar ao governo brasileiro que devolva os presos ao Estado de origem ou ao menos elabore um limite de tempo para as renovações da permanência nos presídios federais.

“Vão voltar piores”

Para Fernando Castelo Branco, advogado criminal e professor de direito processual penal da PUC-SP, a existência de um regime diferenciado de prisão é compreensível para garantir a ordem pública e combater o crime organizado. No entanto, segundo ele, a lei sobre transferência e permanência de detentos em presídios federais é altamente subjetiva e superficial.

“Não é um discurso de direitos humanos, é de legalidade. O subjetivismo da lei quando fala na excepcionalidade é inconstitucional. O preso fica numa condição indigna sem limite temporal [de permanência]”, disse. “O que se vê é o juiz renovando automaticamente a permanência sem uma avaliação criteriosa.”

Já Thiago Bottino, professor de Direito Penal da FGV Direito Rio, disse que enviar detentos para presídios federais é “terceirizar a solução do problema”, já que o Estado não consegue cuidar das próprias prisões e restringir o contato do criminoso com outras pessoas.

“Os presídios federais são mais convenientes para o Estado do Rio”, afirmou. “Não estou dizendo que é fácil ou simples, mas a verdade é que falta vontade política para resolver.”

De acordo com Jorge Luís Câmara, professor de Direito Penal da Uerj (Universidade do Estado do Rio de Janeiro), a pena de prisão está sendo tratada como “neutralização ou exclusão temporária” do criminoso, sem enfrentar de fato os problemas da segurança pública.

“Não estou defendendo que são pessoas que deveriam ser soltas. Só estou colocando que, a pretexto de fazer segurança pública, nós ignoramos a função da pena, que é de tentar reabilitar”, disse. “Nós abrimos mão de recuperação ética de quem quer que seja e vamos nos limitar a proteger a sociedade segregando essas pessoas.”

Segundo Castelo Branco, a sociedade “deve se lembrar sempre que essas pessoas vão voltar para o convívio social, cedo ou tarde.”

“Não temos prisão perpétua, pena de morte. E vão voltar piores do que entraram.”

Fonte: UOL

Comente aqui

Polícia

Dezessete agências bancárias foram explodidas em 45 dias no RN; polícia se depara com a falta de estrutura para combater o crime

AS FREQUENTES INVESTIDAS DE ASSALTANTES NESSE TIPO DE CRIME REVELAM A INEFICIÊNCIA NA PREVENÇÃO E NAS INVESTIGAÇÕES

As polícias Militar e Civil registraram nos primeiros 45 dias do ano de 2017, dezessete casos de agências bancárias explodidas em todo o Rio Grande do Norte, a maioria em cidades do interior do Estado. As frequentes investidas de assaltantes nesse tipo de crime revela a ineficiência na prevenção e nas investigações para combater essas quadrilhas.

De acordo com dados coletados com as polícias, do dia 05 de Janeiro até o dia 22 de Fevereiro várias cidades foram alvo de quadrilhas fortemente armadas e que utilizaram de explosivos para efetuar os saques. Os municípios de Baraúna, Cerro-Corá, Japí, Tangará, Lages, Campestre, Umarizal, Santa Cruz, São Paulo do Potengi, Florânia, Apodi, Extremoz, Serra Negra e Santana do Matos não escaparam dos criminosos que nesses casos fugiram sem deixar pistas.

O delegado geral da Polícia Civil do Estado, Clayton Pinho, relata que houve um crescimento nesses casos, mas ressalta que três equipes da DEICOR, a Divisão Especializada em Investigação e Combate ao Crime Organizado, estão trabalhando para dar uma resposta a altura nos próximos dias. “O trabalho de investigação conta com o apoio da Polícia Federal e os nossos delegados e agentes não estão medindo esforços para frear essas ações. Em breve teremos resultados para apresentar”, disse.

O comando da Polícia Militar aguarda a efetivação de novos policiais através de concurso público previsto para os próximos meses e com isso fortalecer os destacamentos, companhias, pelotões e Batalhões em todo o RN. Para as associações representativas de praças o baixo efetivo nessas cidades é uma ameaça iminente para os policiais que trabalham tentando garantir a ordem.

Fonte: Portal BO

Comente aqui

Governo

Problemas de saúde motivou o pedido de demissão de Serra, que voava sob efeito de injeções

JOSÉ SERRA VOAVA SOB EFEITO DE INJEÇÕES E PENSAVA EM DEIXAR PASTA HÁ 20 DIAS

O chanceler José Serra (PSDB-SP) entregou nesta quarta-feira (22) carta pedindo demissão do Ministério de Relações Exteriores. A informação foi confirmada pelo Palácio do Planalto. O ministro alegou problemas de saúde para pedir a exoneração do cargo. Antes de embarcar para seu último compromisso internacional, um encontro para discutir políticas públicas na Alemanha, José Serra (PSDB) tomou uma injeção com analgésicos para aliviar as dores que sentia na coluna.

O incômodo, que se acentuava em viagens aéreas, havia se tornado uma rotina desde que o agora ex-chanceler diagnosticou um desgaste acentuado entre duas vértebras, ainda no ano passado.

Em conversas com pessoas próximas, Serra vinha dizendo que o quadro beirava o insuportável. Há cerca de 20 dias confidenciou que, diante do quadro, pensava em deixar a chefia Ministério das Relações Exteriores, pasta que, pela função, obriga o titular a fazer longos voos. Temia, porém, que a decisão irritasse Temer, fragilizasse o governo e desse margem a especulações sobre uma motivação política.

Temer presenciou por diversas vezes a aflição do então ministro. Durante um viagem para a Índia, em novembro do ano passado, disse ao próprio Serra que o via abatido e que achava que ele vinha se alimentando mal. Pediu para que o ministro tentasse descansar.

Serra se submeteu a uma cirurgia na coluna no mês seguinte, para descomprimir a cervical e substituir o disco vertebral que estava desgastado por uma placa. Chegou a ficar internado em uma unidade de terapia semi-intensiva.

Após a alta, retomou o trabalho, mas continuou se queixando de dores. Em visita a São Paulo, no último dia 29 de janeiro, comentou que a coluna, após a cirurgia, passou a incomodar ainda mais do que antes.

CARTA DE DEMISSÃO

Serra entregou sua carta de demissão a Temer nesta quarta-feira (22). Disse ter sido um orgulho integrar a equipe do presidente, de quem é amigo pessoal há anos. Prometeu retomar suas atividades no Senado. Ele tem mandato na Casa até 2022.

Pessoas próximas ao ministro dizem ainda que ele vinha manifestando profunda inconformidade com citações ao seu nome na Operação Lava Jato. Como mostrou a Folha em agosto de 2016, um dos delatores da Odebrecht afirmou que a empreiteira fez doações no exterior à campanha de Serra à Presidência em 2010.

SERRA VOAVA SOB EFEITO DE INJEÇÕES E PENSAVA EM DEIXAR PASTA HAVIA 20 DIAS

Com as especulações em torno do fim do sigilo sobre o acordo de colaboração firmado pela empresa com a Justiça, aliados não descartam que o ministro tenha se afastado para minimizar um eventual desgaste para o governo.

Em carta divulgada pelo governo, Serra, 74, afirma que pede demissão “em razão de problemas de saúde que são do conhecimento de Vossa Excelência, os quais me impedem de manter o ritmo de viagens internacionais inerentes à função de Chanceler.”

Serra entregou a carta pessoalmente a Temer, no Palácio do Planalto. Ele afirma que “segundo os médicos, o tempo para restabelecimento adequado é de pelo menos quatro meses.” Não há detalhes sobre a doença do ex-ministro. Mas no fim de dezembro, Serra foi submetido a uma cirurgia de descompressão e artrodese da coluna cervical.

O ex-ministro, que é do PSDB, informou ainda que retorna ao Congresso, onde afirma que honrará seu mandato de senador “trabalhando pela aprovação de projetos que visem a recuperação da economia, desenvolvimento social e a consolidação democrática do Brasil”.

Serra, que assumiu o ministério em maio de 2016, tem mandato de senador até 2022, mas se afastou do cargo para assumir a chancelaria, indicado pelo presidente Michel Temer (PMDB). Ele substituiu Mauro Vieira, diplomata de carreira.

Além de senador, Serra já foi prefeito de São Paulo e governador do Estado e candidato à Presidência da República duas vezes. Em 2012, concorreu à Prefeitura de São Paulo, mas foi derrotado por Fernando Haddad (PT-SP).

Com a saída de Serra do Ministério de Relações Exteriores, o PSDB fica com três ministros no governo do presidente Michel Temer: Bruno Araújo, na pasta de Cidades; Antonio Imbassahy, que ocupa a Secretaria de Governo; e Luislinda Valois, ministra dos Direitos Humanos. Além de Serra, o partido perdeu ainda o Ministério da Justiça, com a nomeação de Alexandre de Moraes para o STF (Supremo Tribunal Federal).

 

Fonte: UOL/Folha

Comente aqui

Polícia

Em Assu mais de 50 quilos de maconha são apreendidas nesta tarde

APREENSÃO DE DROGAS, ARMAS E MUNIÇÕES/ FOTO DIVULGAÇÃO PRF

A Polícia Rodoviária Federal em uma ação conjunta com a Polícia Civil, apreendeu na tarde desta quarta-feira (22), 57 kg de maconha prensada que estavam na posse de um homem de 40 anos, natural da cidade de Antônio Martins (RN).

Após levantamento de informações sobre um possível ponto de venda de drogas, uma equipe da PRF em parceria com a Polícia Civil, se deslocou até a comunidade de palheiros, situada nas proximidades do km 84 da BR 304, em Assu.

Chegando ao local encontraram em uma casa de um assentamento, 60 tabletes de maconha prensada, escondida em um quarto da residência. Além da droga foram encontrados ainda um revólver calibre 38 com cinco munições, uma espingarda e um veículo C3.

Após consulta aos sistemas de segurança, foi constatado que o carro havia sido roubado no ano de 2015, na cidade de Praia Grande (SP). Constatou-se também que o homem tinha vários mandados de prisão por tráfico de droga e receptação.

Diante dos fatos foi dada voz de prisão ao acusado. A ocorrência foi encaminhada à Delegacia de Polícia Civil de Mossoró para as medidas cabíveis.

 

Fonte: PRF RN

Comente aqui