Geral

OPINIÃO DO FM: Luxo em meio à crise!

Por Elane Nascimento

O MEC bloqueou mais de R$ 102 milhões só aqui no estado. Sendo a Universidade Federal do Rio Grande do Norte – UFRN – a Instituição mais afetada, uma vez que o corte à universidade chegou aos R$ 60 milhões. Os Institutos Federais perderam R$ 27 milhões e a UFERSA quase R$ 16 milhões.

Ouve-se falar, inclusive, em “vaquinha” entre servidores para custear materiais básicos como: tonner para impressão, papel, material de escritório, dentre outros. Estudantes e professores foram às ruas em protesto fazendo valer o que cantamos ao entoar o Hino Nacional ao dizer, “Verás que um filho teu não foge à luta!”. Em nota, a UFRN admitiu que há risco de suspensão de serviços e inviabilização das atividades. Uma lástima!

Enquanto a Instituição, bem como a sociedade acadêmica sofre e sente “na pele a dor dos cortes”, o novo Reitor, Daniel Melo, receberá posse no suntuoso Teatro Riachuelo – Midway Mall. A cerimônia de transmissão oficial do cargo de reitor da UFRN ocorrerá em 3 de junho, a partir das 19h.

Teatro Riachuelo. Foto: Reprodução\Site do Teatro Riachuelo

De acordo com a pró-reitora adjunta de Administração da UFRN Maria do Carmo Araújo de Medeiros Fernandes de Oliveira, embora a solenidade aconteça no teatro Riachuelo, a despesa da pauta do espaço não envolverá recursos públicos da UFRN.

“A contratação do espaço para o evento foi com recursos próprios da FUNPEC, instituição de direito privado que tem apoiado a universidade em diversos eventos acadêmicos, parceria esta amparada inclusive em resolução do Conselho Deliberativo da FUNPEC”, disse.

Foto: Reprodução\Funpec

A universidade possui espaços próprios para a realização de eventos do gênero, mas “optou” por aceitar apoio da Funpec que vai gastar R$ 26.980,00 com o evento no Teatro Riachuelo. Não caberia um pedido “humilde”, para que a posse fosse realizada com singularidade e os R$ 26.980,00 fossem revertidos em contribuição para manutenção de serviços da Universidade?

Sobre a Funpec

A FUNPEC – Fundação Norte-riograndense de Pesquisa e Cultura – tem natureza jurídica de direito privado, mas a maior parte dos recursos administrados é de instituições federais como a própria UFRN. Sua principal função é apoiar e gerenciar projetos de ensino, pesquisa, extensão, inovação social, desenvolvimento científico, tecnológico e cultural realizados pela Universidade Federal, assegurando agilidade na captação e implantação desses projetos e programas, promovendo a integração da universidade com a sociedade, por meio de parcerias com instituições públicas e privadas.

O Conselho Deliberativo, que é o órgão de direção superior da FUNPEC, é composto, inclusive, por professores da universidade e o diretor-geral é escolhido pela reitoria para planejar, organizar, coordenar e controlar todas as atividades de gestão da Fundação, tudo definido e detalhado no Estatuto e no Regimento Interno. Porém, não há previsão de bancar posses como a que está prevista para o novo reitor. De acordo com o relatório orçamentário de 2017, o mais recente disponibilizado pela Funpec, A UFRN destinou R$ 370.604.480,26 para a Funpec administrar nessas atividades, que correspondem a 74,45% do orçamento da Fundação.

Será que o valor pago para custear essa “pompa toda” não poderia ser evitado? Venhamos e convenhamos, a verba não “salvaria” todas as necessidades da Instituição, mas poderia ser repassada para evitar alguns colapsos.

Outras Opiniões

Por Flávio Rezende

” A posse do novo reitor da UFRN conseguiu transformar o que seria especial em infernal. Toda mídia sobre o assunto é negativa, de blogueiros a colunistas, manchetes, todo mundo criticando, menos as tais entidades que vivem a defender mais parcimônia na questão econômica, desde que o gasto parta de algum coxinha.
Até agora não li uma nota de repúdio a gastança desnecessária e egóica da Atens, Adurn e de políticos. 
A esquerda parece gostar de falar uma coisa e fazer outra. Fico imaginando se fosse um reitor “coxinha” a ser empossado, o furdunço que seria.
Faço parte de um grupo de zapzap de uma entidade e até hoje, só uma pessoa lamentou o episódio. No particular comigo um defendeu, por incrível que isso possa parecer, um petista disse que a grana da Funpec podia ser gasta assim, que era legal. Imoral para petista é se o gasto for a direita, a esquerda tudo pode.
Enfim, o reitor que é uma pessoa legal, um cabra bom, bem que podia renunciar a tal posse e fazer ali mesmo no auditório da Reitoria, em sua casa, pertinho do seu gabinete, demonstrando o equívoco e recuando da suntuosidade que não cabe bem nestes tempos e em tempo nenhum, uma vez que ganhou, o 17 endossou, e é hora de trabalhar e não de posar diante de iluminação de primeiro mundo, ambiente pago e auditório fora do ambiente universitário.
E a Funpec enxovalhou sua reputação e história, estando agora todo mundo querendo saber o que se faz com o dinheiro ali depositado.
Faria bem publicar, para que possamos saber se existe para possibilitar posses suntuosas, ou para empoderar pesquisas maravilhosas.
Que situação, rapaz… “, Blog do Flávio Rezende.

Qual a sua opinião?


Deixe um Comentário