Brasil

“O Estado deve administrar o país e não empresas”, diz Luciano Hang sobre privatizações

O DONO DA HAVAN FEZ UMA SÉRIE DE POSTS NO TWITTER PARA DEFENDER AS PRIVATIZAÇÕES. FOTO: REPRODUÇÃO/REDES SOCIAIS

O empresário Luciano Hang, dono da “Gigante Havan“, uma das maiores redes de loja de departamento do país, afirmou em seu Twitter no início da tarde desta terça-feira, 26, ser a favor das privatizações das estatais. Para Hang, “o Estado deve administrar o país e não empresas”.

Na sequencia de posts, o empresário ainda diz que as estatais foram criadas “com o argumento de que era melhor para o povo, quando na verdade era o contrário, só tornava o cidadão mais dependente do Estado”.

Além de defender as privatizações, Hang, que é “apoiador oficial” do presidente Jair Bolsonaro, destacou também as arrecadações do Governo em 2019 que, segundo ele, foram de R$ 100,5 bilhões até aqui.

“Em 2019 o governo já arrecadou R$ 100,5 bilhões em privatizações. E a intenção é aumentar esse valor. A diminuição de empresas estatais gera mais empregos, aumenta a concorrência e dificulta casos de corrupção. Durante anos o Brasil teve uma política de estatização”, tuitou.

Mais cedo, Luciano Hang comparou o Brasil como “um carro de fórmula 1 com freio de mão puxado“. “Temos potencial para sermos uma grande nação, mas durante anos frearam nosso desenvolvimento. Aos poucos soltamos o freio de mão e vamos tomando velocidade”, afirmou.


Comente aqui