Cidades

Natal terá 100% de esgotamento sanitário até 2022, prevê Caern

NA ZONA NORTE, APENAS 3% DA POPULAÇÃO CONTA COM ESGOTAMENTO. FOTO: JOSÉ ALDENIR

O mau cheiro é constante na frente da casa da feirante Márcia Pereira, 26, no bairro de Felipe Camarão, zona Oeste de Natal. Oriundo da lama escura que escorre na frente da sua casa, o odor torna a situação ainda se torna pior quando chove. É a água que emerge das residências sem qualquer tratamento e se mistura com todo tipo de resíduos que, porventura, se apareçam no caminho. Márcia e seus vizinhos fazem parte da metade da população natalense que não dispõe de esgotamento sanitário, mas que poderá contar com o serviço até 2022. Essa é a meta do Governo do Estado para completar as obras que permitirão atingir o índice de 100% do esgotamento sanitário da capital.

“Sanear” é uma palavra que vem do latim e significa tornar saudável, higienizar e limpar, mas por enquanto, o cenário é diferente onde não existe um sistema completo de saneamento básico, que compreende a distribuição de água potável, coleta e tratamento de esgoto, drenagem urbana e coleta de resíduos sólidos.

Por todo o mundo, o saneamento básico é um privilégio da população mais rica e em Natal não é diferente. É nas periferias onde o problema se torna mais presente, como na zona Norte, onde apenas 3% da população tem acesso a um sistema de esgotamento sanitário, e na zona Oeste, onde Márcia e Rosa Lígia moram.

Curiosamente, é dessas áreas que partirá a solução para que Natal consiga universalizar o serviço. A Estação de Tratamento de Esgotos (ETE) que está sendo construída no bairro do Guarapes, zona Oeste, está 17% concluída, mas segundo o diretor-presidente da Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern), Roberto Linhares, a estrutura já começou a ganhar forma e a mostrar a grandiosidade do equipamento. “É através desta ETE que esgotos da zona Oeste e Sul da cidade do Natal serão tratados. Quando entrar em operação, Natal terá o serviço de esgotamento sanitário universalizado”, frisou. A previsão deste empreendimento é para dezembro de 2022 com um investimento contratado de R$ 105 milhões.

Antes disso, a ETE Jaguaribe, na zona Norte da cidade, que já está com a obra física 85% concluída, deverá cobrir quase metade dos moradores daquela área já no próximo ano. “A região, que atualmente dispõe de apenas 3% de cobertura, passará em meados de 2021 para uma cobertura de aproximadamente 45% com a ativação do primeiro módulo. Já em 2022 com outros dois módulos, teremos 100% da população atendida”, declarou Linhares. O valor total contratado para esta ETE é de R$ 115 milhões.

Com informações da Tribuna do Norte


Comente aqui