Brasil

“Não sou melhor presidente, mas tenho menos pecados”, diz Bolsonaro

O PRESIDENTE VISITOU O EX-COMBATENTE DA SEGUNDA GUERRA MUNDIAL CARLOS SANTIAGO AMORIM, EM BRASÍLIA, NESTA QUARTA-FEIRA. FOTO: LUCIANA LIMA/METRÓPOLES

O presidente Jair Bolsonaro afirmou na manhã desta quarta-feira, 11, que pode não ser o melhor presidente, mas certamente é o que possui “menos pecados”. “Posso não ser o melhor presidente, mas, com certeza, sou o que tem menos pecado”, disse, ao visitar, fora da agenda, o ex-combatente da Segunda Guerra Mundial Carlos Santiago Amorim, de 96 anos, em Brasília.

Na semana passada, Bolsonaro disse em conta oficial no Twitter que recebeu uma carta de Carlos Santiago e confirmou que iria encontrá-lo. “Recebi uma emocionante carta do ex-combatente da Segunda Guerra Mundial Carlos Santiago de Amorim, de 96 anos, onde ele diz que gostaria de me conhecer. Será uma grande honra e satisfação cumprimentar pessoalmente este herói brasileiro em breve. Boa noite a todos!”, comentou.

Na visita, Bolsonaro aproveitou para elogiar, novamente, o ex-presidente Emílio Garrastazu Médice e repetiu que ele foi um “colonizador”.

O presidente afagou as Forças Armadas ao dizer que é necessários fortalecê-las para garantir a democracia e a liberdade. “Não existe país democrático e com liberdade sem que exista uma Força Armada forte e com o mesmo pensamento”, completou.

Metrópoles


Comente aqui