Economia

Municípios da Grande Natal tiveram alta na criação de empregos em 2019

NÚMERO DE CONTRATAÇÕES DA REGIÃO, EM 2019, FOI PUXADO PELO MUNICÍPIO DE PARNAMIRIM. SALDO DA ABERTURA DE EMPREGOS FOI DE 1.943, OU SEJA, ALTA DE 5,45%. FOTO: ILUSTRAÇÃO

Os 10 municípios potiguares que são monitorados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério da Economia, terminaram 2019 com aumento de 3,67% no número de contratações feitas no mercado formal de emprego, em comparação com o ano anterior. Ao todo, foram 96.689 admissões no ano passado, contra as 93.171 do ano de 2018.

O número de contratações da região, em 2019, foi puxado pelo município de Parnamirim. A cidade da Região Metropolitana de Natal registrou 14.595 contratações e 12.652 desligamentos. O saldo da abertura de empregos foi de 1.943, o que representa uma variação positiva anual de 5,45%.

A taxa de crescimento na abertura de empregos ao longo do ano de Parnamirim foi a maior de todas as 10 cidades avaliadas pelo Caged no RN – Canguaretama, Ceará-Mirim, Macaíba, Natal, Nova Cruz, Parnamirim, Santa Cruz, São Gonçalo do Amarante, São José de Mipibu e Touros.

Segundo os dados do Ministério da Economia, as cidades potiguares que apresentaram os piores resultados na geração de empregos foram Canguaretama, Natal, Nova Cruz e São Gonçalo do Amarante. A capital do Estado, por exemplo, terminou o ano com saldo negativo de vagas de emprego. Foram 71.593 contratações e 73.497 demissões nos 12 meses de 2019, o que representa o fechamento de 1.943 vagas de trabalho no período.

Apesar de ter o maior resultado em números totais, Natal não ficou com a liderança na variação negativa ao longo de 2019. Com redução de 0,88% na abertura de empregos, a capital ficou atrás de Canguaretama (-1,13%), Nova Cruz (-2,33%) e São Gonçalo do Amarante (-2,35%).

Os dados do Caged também mostram a recuperação na abertura de vagas de trabalho do município de Ceará-Mirim. Em 2018, a cidade terminou com saldo negativo na geração de empregos, ficando com o pior registro entre as cidades analisadas. Já em 2019, o município terminou saldo positivo de 164 vagas e variação anual de 4,32%.

Em 2019, o Rio Grande do Norte fechou 3.133 vagas formais de trabalho em dezembro, mas terminou o ano com saldo positivo de 3.741 empregos, segundo dados do Caged. Ao longo dos 12 meses, o Estado registrou 149.222 contratações, contra 145.481 demissões.

Com o melhor resultado entre as cidades da Região Metropolitana de Natal, Parnamirim teve destaque em contratações geradas por investimentos públicos. “De um modo geral, nós temos, hoje, cerca de 1 mil pessoas atuando em obras de saneamento. Essa empregabilidade acontece desde o início do ano, quando houve a evolução das obras em todo o munício. Estas pessoas permanecerão nos empregos até que se conclua todo o saneamento básico”, disse Juranny Silva, coordenadora do Trabalho da Secretaria Municipal de Assistência Social, Habitação e Regularização Fundiária.

Outra fonte de emprego, aponta Juranny Silva, será o Centro Cultural Trampolim da Vitória – ainda na fase de adaptação e de melhoramento do ambiente –, que vai gerar 500 vagas de emprego quando as operações estiverem em pleno funcionamento.

“Temos empresas, como a rede Atacadão, que iniciou as operações no ano passado. São 200 vagas de emprego. Temos, ainda, o Mar Vermelho (distribuidora de bebidas e alimentos), que também abrirá 200 vagas de emprego. O Shopping Praça das Dunas, que está na fase de terraplanagem, vai oportunizar 400 vagas de trabalho para a fase de obras. Ou seja, teremos muitas oportunidades, porque são muitos empreendimentos chegando”, detalhou, também, Juranny Silva.

A Prefeitura de São Gonçalo do Amarante, com um dos piores resultados de 2019, criou no início de 2020 uma política de incentivos fiscais para gerar emprego e estimular a vinda de empreendimentos para o município. O programa visa diminuir a burocracia, oferecer segurança jurídica, capacitação e qualificação profissional, além de infraestrutura. Além disso, a administração assinou protocolo de intenções para se instalarem em São Gonçalo outras 10 empresas.

Também está sendo instalada a Central do Investidor junto à Central do Cidadão, no Bairro Jardins, e, recentemente, foi lançado o programa “Quero Trabalhar”, que atua como facilitador na intermediação do emprego e no apoio ao empreendedorismo local.

Em Ceará-Mirim, no dia 17 de janeiro, a Secretaria Municipal de Habitação firmou parceria com o Sebrae. As atividades fazem parte do projeto “Muriú o Ano Inteiro”, que pretende envolver a população, capacitando a mão de obra, por meio dos minicursos do Senac e do Sebrae, e consequentemente melhorar o bem-estar do turista.

Já no dia 16 de janeiro, a Prefeitura de Ceará-Mirim fechou uma parceria com a Caixa Econômica Federal e com o Queiroz Atacadão. Com o objetivo de capacitar profissionalmente mais de 1000 famílias do conjunto habitacional Nova Ceará-Mirim e logo após inseri-las no mercado de trabalho, o acordo é visto com uma conquista para o povo da região.

As capacitações serão oferecidas de forma gratuita, sob demanda do Atacadão, e terão duração de 8 meses. A expectativa é que, nas próximas semanas, os beneficiados possam começar as qualificações e, entre agosto e setembro, sejam iniciados a jornada de trabalho. Em breve, o projeto será estendido para o conjunto Santa Paula I.

Abertura de empregos em 2019 na Região Metropolitana de Natal:

Canguaretama

Admissões – 942

Desligamentos – 970

Ceará-Mirim

Admissões – 1.238

Desligamentos – 1.074

João Câmara

Admissões – 520

Desligamentos – 507

Macaíba

Admissões – 2.953

Desligamentos – 2.966

Mossoró

Admissões – 20.678

Desligamentos – 20.237

Natal

Admissões – 71.593

Desligamentos – 73.497

Nova Cruz

Admissões – 381

Desligamentos – 425

Parnamirim

Admissões – 14.595

Desligamentos – 12.652

Santa Cruz

Admissões – 726

Desligamentos – 663

São Gonçalo do Amarante

Admissões – 2.598

Desligamentos – 2.823

São José de Mipibu

Admissões – 1.237

Desligamentos – 1.116

Touros

Admissões – 426

Desligamentos – 405



Deixe um Comentário