Brasil

Mourão e Maia lamentam morte de Bebianno; Bolsonaro ainda em silêncio

PELO TWITTER, O VICE-PRESIDENTE LEMBROU QUE BEBIANNO, MORTO NA ÚLTIMA MADRUGADA AOS 56 ANOS, ESTEVE COM ELE E JAIR BOLSONARO DESDE O INÍCIO DA CAMPANHA. FOTO: REPRODUÇÃO/REDES SOCIAIS

O clima ainda é de silêncio no alto escalão do governo federal a respeito da morte de Gustavo Bebianno. No início desta tarde, o vice-presidente Hamilton Mourão foi o primeiro a se manifestar. Pelo Twitter, o vice-presidente lembrou que Bebianno, morto na última madrugada aos 56 anos, esteve com ele e Jair Bolsonaro desde o início da campanha. Mourão declarou pesar e minimizou as divergências políticas do ex-ministro com o governo após sua saída da Secretaria-Geral da Presidência.

O presidente Jair Bolsonaro e ministros como Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional) e Onyx Lorenzoni (Cidadania), que participaram da campanha presidencial desde o início, ao lado de Bebianno, também não haviam se manifestado até o fechamento deste texto. O advogado presidiu o PSL durante o período eleitoral a pedido do próprio candidato e foi considerado peça-chave na eleição.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), lamentou a morte de Bebianno, que era pré-candidato à prefeitura do Rio de Janeiro.

De acordo com as primeiras informações, Bebianno morreu de infarto. Amigos dele, no entanto, cobram uma investigação sobre as circunstâncias da morte, como mostrou o Congresso em Foco.



Deixe um Comentário