Política

“Mimimi” sobre Álvaro Dias tomar a primeira dose da vacina foi um desserviço para a população menos esclarecida

PREFEITO ÀLVARO DIAS ABRIU VACINAÇÃO EM NATAL NA MANHÃ DESTA QUARTA-FEIRA

A politização da vacina no Rio Grande do Norte, que ontem culminou com ataques frontais ao prefeito de Natal, Álvaro Dias (PSDB), por este ter anunciando que tomaria a primeira dose da vacina, terminou sendo um grande “desserviço”, principalmente para uma expressiva parcela da população natalense, que, menos informada, enxergam a Coronavac com desconfiança e confessa que não pretende se imunizar, por acreditar que o medicamento desenvolvido pela farmacêutica chinesa Sinovac  não oferece segurança e que pode causar efeitos colaterais nefastos.

Graças ao festival de contrainformação gerado através de fake news nas redes sociais, a chamada “vacina chinesa” é vista com maus olhos por muita gente.

O fato do prefeito de Natal, um médico, ter anunciado que tomaria a primeira dose não se configuraria de forma alguma num ato de “fura fila”, ou abuso de poder. A iniciativa seria positiva para formar opinião junto as parcelas menos esclarecidas da sociedade, que começariam a questionar o seguinte fato: “se a vacina é boa para o prefeito, que é médico, porque não seria para mim”?

Também não seria nenhum descalabro, imoralidade ou afronta a população, se a governadora Fátima Bezerra (PT) tivesse também anunciado que tomaria a “dose inaugural” do imunizante. Esse fato por si só, desmistificaria, a nível estadual, qualquer dúvida sobre a segurança da vacina, principalmente por ser Fátima uma política que detém uma ampla penetração e conceito junto as bases populares da sociedade.

Na manhã desta quarta-feira, o BLOG DO FM conversou com populares e alguns deles – justamente por carências de informação – chegaram a interpretar que o prefeito desistiu de tomar a vacina, por ter descoberto “algo ruim” no imunizante.

A hora agora é para prefeito e governadora trabalharem juntos, sem estrelismo, sem política, imbuídos no propósito comum de afastar a pandemia do Rio Grande do Norte.

É lamentável se constatar que a “politização” da vacina e os ataques feitos ao prefeito natalense foram disseminados por secretários e auxiliares da governadora, conforme revelou pioneiramente a jornalista Laurita Arruda em seu blog “Território Livre” (http://blog.tribunadonorte.com.br/territoriolivre/vacina-ou-nao-vacina-time-de-fatima-bombardeou-prefeito-alvaro-dias-nas-redes/ ).

A menos que use uma “máscara de dissimulação”, o que a governadora tem demostrado é que está focada em somar esforços para resolver um problema de saúde pública, e não ficar criando aresta, brincado de cabo de guerra ou gerando polêmicas inúteis nas redes sociais.

Um prefeito ou uma governadora – ambos fortes formadores de opinião – tomar uma dose inaugural de uma vacina, não constitui nenhum ato de imoralidade. O que é mesmo imoral é pessoas ditas esclarecidas usarem suas redes sociais para disseminar o ódio, confundir a população e gerar tumulto, a exemplo do que fez o secretário de Planejamento, Aldemir Freire, que chegou a chamar o prefeito de “fura Fila” e a vereadoras petista  Brisa Bracchi  e Divaneide Basílio.


Comente aqui