Política

Membros do PL no RN articulam ida para o PSB no RN

FOTO: DIVULGAÇÃO

Lideranças do PL no Rio Grande do Norte, insatisfeitos com a filiação do presidente Jair Bolsonaro na legenda, têm articulado com o líder do PSB no Estado, o deputado federal Rafael Motta, com o objetivo de chegar a um entendimento para, posteriormente, se filiarem ao PSB, sigla de centro-esquerda.

Entre os que estão dialogando com o partido, que ensaia uma provável federação com o PCdoB, Psol e PT – em busca da reeleição da governadora Fátima Bezerra (PT) -, temos os deputados estaduais George Soares, Kleber Rodrigues e Ubaldo Fernandes. Os diálogos já estariam em fase adiantada.

Em entrevista exclusiva ao AGORA RN, nesta sexta-feira 14, o deputado federal Rafael Motta declarou que, “o PSB leva uma vantagem, pois, por muito tempo, representou a terceira via no país. As pessoas sabem do nosso entendimento com as pautas sociais, mas, também sabem que somos um partido que dá liberdade e que não aprova extremismos. E isso, faz com que muitos propensos candidatos nos procurem”, afirmou.

Caso essas filiações sejam confirmadas e concretizadas, poderá favorecer não apenas o projeto de reeleição de Rafael Motta à Câmara Federal, mas também lhe dar forças eleitorais para uma provável candidatura ao Senado. O presidente do PSB não descarta essa possibilidade.

“Toda candidatura significa uma construção coletiva, mesmo sendo de reeleição. O partido nos apoia, sinto uma boa recepção ao meu nome por onde circulo no RN. Nosso mandato tem apresentado resultados. Acho que as condições estão reunidas, o que me encoraja, sim, a seguir na estrada”, enfatizou.

APOIO. Rafael Motta disse que tem o apoio de lideranças e filiados de vários partidos para qualquer plano político que escolha. “O que lhe deixa muito feliz, pois, em tempos de divergências políticas, manifestadas por vezes de forma até violenta, a capacidade de aglutinar se tornou uma qualidade importante”, afirmou.

O parlamentar disse que é uma pessoa de diálogo e que entende as candidaturas como construções coletivas. Ele defende que os entendimentos com as lideranças são importantes, mas, não se pode terceirizar o contato com a população. “Esse tem acontecido de forma direta e frequente”, sinalizou.

FEDERAÇÃO. Sobre as conversas que tem tido com lideranças no Estado, para uma possível federação com PT, Psol e PCdoB – que vem sendo desenhada no plano nacional e que, caso se concretize, os estados devem seguir obrigatoriamente -, Rafael ressaltou que vê tudo com bons olhos.

“As coligações eram alianças frágeis e descartáveis, mas o comprometimento partidário com pautas e agenda por quatro anos, julgo ser muito interessante, principalmente para a população. Com relação ao PSB do RN, especificamente, acho que só confirmará uma situação que já existe. A formalização de uma parceria que já acontece na prática”, disse.

No entendimento do deputado federal, ao formalizar a federação, “será dado apoio político e administrativo ao governo do Estado e, é natural que esse apoio seja estendido ao projeto de reeleição da governadora. O entendimento do PSB com o PT é o mais certo até aqui”, finalizou.

Agora RN


Comente aqui