Coluna

Meio Ambiente e Sustentabilidade

FISCALIZAÇÃO do IDEMA

O IDEMA esteve neste final de semana em vistoria nas Áreas de Proteção Ambiental. A equipe inspecionou atividades irregulares na Praia de Tibau do Norte, em Tibau, na Área de Proteção Ambiental (APA) Dunas do Rosado, em Areia Branca e Área de Proteção Ambiental Bonfim-Guaraíras. A medida tem o intuito de coibir irregularidades e infrações ambientais praticados nas áreas.

A fiscalização aconteceu devido ao maior número de ocorrências de infrações na área, como o aumento das construções irregulares, desmatamento e incêndios criminosos.

Além da ação do setor de Fiscalização, foi realizado o acompanhamento das APAs a fim de assegurar proteção da natureza e qualidade de vida das gerações presentes e futuras.

AÇÃO DO IDEMA TEM O INTUITO DE COIBIR IRREGULARIDADES E INFRAÇÕES AMBIENTAIS PRATICADOS NAS ÁREAS

COMÉRCIO ILEGAL

A partir de denúncia anônima sobre venda ilegal de arraias em uma loja de aquarismo em Ceilândia, no Distrito Federal, o Ibama realizou uma fiscalização, em conjunto com o Instituto Brasília Ambiental (Ibram), que resultou na apreensão de 57 animais.

Entre os espécimes recolhidos pelos agentes ambientais havia 40 axolotes, espécie de salamandra típica do México, caracterizando a introdução de espécie exótica sem autorização; 13 arraias-pintadas sem comprovação de origem; 2 bicudas, cuja comercialização é proibida; e 2 peixes-vidro, que receberam injeções de tinta fluorescente, evidenciando maus-tratos.

ENTRE OS ESPÉCIMES RECOLHIDOS PELOS AGENTES AMBIENTAIS HAVIA 40 AXOLOTES, ESPÉCIE DE SALAMANDRA TÍPICA DO MÉXICO

A loja e o proprietário não possuíam inscrição no Registro Geral da Atividade Pesqueira (RGP), nem no Cadastro Técnico Federal (CTF), obrigatórios para o comércio de organismos aquáticos vivos e atividades pesqueiras. A legislação também exige licença para funcionamento da empresa.

O proprietário recebeu três autos de infração, que totalizam R$ 23,8 mil.

O Centro de Triagem de Animais Silvestres do Ibama no DF foi preparado para receber os animais e garantir alimentação e condições ambientais adequadas.

COMO SER ECO-FRIENDLY

Eco-friendly é um termo em inglês cuja tradução significa “amigável ao meio ambiente”. Ou seja, algo que não causa danos socioambientais ou tem impactos reduzidos em comparação a um produto, evento, situação ou postura equivalente.

Escolher ser eco-friendly é uma postura que pode ser adotada tanto por empresas, governos e organizações quanto por pessoas, em várias situações. Vou dar algumas sugestões aqui para quem quer começar.

O primeiro passo é repensar a forma de alimentação, procurando reduzir os produtos de origem animal como carne, ovos e leite, e priorizar alimentos de origem vegetal produzidos localmente e de modo orgânico.

Outro ponto importante é ter uma empresa com certificação B, essa categoria visa como modelo de negócios o desenvolvimento social e ambiental. Esse sistema pretende disseminar um desenvolvimento sustentável e equitativo por meio da certificação de empresas no âmbito global.

E por fim, reduzir a produção do lixo orgânico doméstico, evitando o consumo desnecessário e o desperdício e praticar compostagem. Assim como reduzir a quantidade de outros tipos de lixo, como o de plástico, mas pra isso é necessário reduzir o consumo.

COMPOSTAGEM

A compostagem elimina o lixo bruto do ambiente, e é uma forma simples e barata de eliminar os agentes infecciosos e reduzir a quantidade de resíduos depositados em aterros sanitários.

O composto feito das fezes do cachorro ajuda a melhorar a estrutura do solo, contribuindo para uma boa aeração e capacidade de retenção de umidade. Ele também é uma fonte de nutrientes para as plantas e pode ser usado como um material de cobertura.

O adubo pode ser usado como um aditivo de solo para revegetação, como em gramados e canteiros de plantio. Mas não deve ser utilizado em plantios para consumo humano, nem é recomendado para germinar mudas devido a ter uma salinidade relativamente alta.

Quando usado em vasos ou canteiros de flores, recomenda-se uma mistura de 25% composto e 75% de solo.

Uma boa compostagem produz um adubo de qualidade que melhora tanto a condição física quanto a fertilidade do solo.

O ADUBO PODE SER USADO COMO UM ADITIVO DE SOLO PARA REVEGETAÇÃO, COMO EM GRAMADOS E CANTEIROS DE PLANTIO

DICA DE LEITURA

Aos que têm interesse em estudar mais sobre o assunto, segue uma lista livros e ebooks sobre sustentabilidade.

EBOOK:

  • Uma Vida Sem Lixo

LIVROS SOBRE ALIMENTAÇÃO:

  • Cozinhando Sem Desperdício, Lisa Casali
  • Da Raiz à Flor, Bela Gil
  • O Terceiro Prato, Dan Barber
  • Plantas Alimentícias não Convencionais PANC no Brasil, Valdely Ferreira Kinupp

LIVROS SOBRE SUSTENTABILIDADE EM GERAL:

  • A História das Coisas, A. Leonard
  • O que é o ecossocialismo? Michael Löwy

SIGA NOSSAS REDES:

Instituto Cidade Limpa

Instagram

Dia Mundial da Limpeza Natal


Deixe um Comentário