Educação

MEC inicia capacitação de profissionais para escolas cívico-militares

LANÇAMENTO DO PROGRAMA NACIONAL DAS ESCOLAS CÍVICO-MILITARES. FOTO: MEC

O Ministério da Educação (MEC) iniciou nesta terça-feira, 10 o primeiro passo para implementação das escolas cívico-militares. A primeira capacitação do programa que contará com 216 escolas até 2023 — somente no próximo ano serão 54. O modelo foi desenvolvido para promover um salto na qualidade educacional do Brasil.

A capacitação reúne 170 profissionais da educação e representantes de estados e municípios em Brasília. Eles participam de palestras e oficinas sobre o projeto político-pedagógico das escolas, as normas de conduta, avaliação e supervisão escolar, além da apresentação das regras de funcionamento das escolas e as atribuições de cada profissional.

O treinamento também vai abrir espaço para o aprimoramento das diretrizes do programa. Ao promover grupos de trabalho, o MEC vai permitir que os participantes façam sugestões ao modelo de forma a adequar a implementação das escolas às necessidades de cada local. O evento é destinado a dois grupos envolvidos no programa:

  • diretores e coordenadores de escolas;
  • pontos focais de secretarias estaduais e municipais de Educação, que trabalharão como multiplicadores da informação em suas regiões.

Na abertura do evento, o subsecretário de Fomento às Escolas Cívico-Militares do MEC, Aroldo Cursino, frisou a importância do alinhamento oferecido pela capacitação. “Somos uma família em busca da melhoria da educação básica por meio de um modelo de gestão”, disse.

Os grupos iniciam as atividades nesta terça-feira. O primeiro grupo tem programação até sexta-feira, 13, enquanto o segundo encerra as atividades na quarta-feira, 11. 

O Programa Nacional das Escolas Cívico-Militares é uma parceria do MEC com o Ministério da Defesa. Cerca de 1.000 militares da reserva das Forças Armadas, policiais e bombeiros militares da ativa vão atuar na gestão educacional das instituições. Em 2020, o MEC destinará R$ 54 milhões para levar a gestão de excelência cívico-militar para 54 escolas, sendo R$ 1 milhão por instituição de ensino.


Comente aqui