Brasil

Luciano Hang, dono das lojas Havan, é condenado pelo TSE por coagir funcionários a votar em Bolsonaro

HANG AO LADO DE BOLSONARO NA ÉPOCA DA CAMPANHA ELEITORAL. FOTO: REPRODUÇÃO: FACEBOOK

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) condenou em caráter definitivo o empresário Luciano Hang, dono das lojas Havan, “propaganda eleitoral irregular” por ter coagido funcionários de sua rede de lojas a votar em Bolsonaro nas eleições de 2018.

Na ação judicial, a própria Defesa do empresário informa sua  desistência em reformar a decisão judicial, e que o acusado cumprirá a  sentença, qual seja, o pagamento de uma multa de R$ 2.000, acrescida de  juros e correções a contar da data em que as propagandas irregulares  foram veiculadas. Esta é toda a pena que Luciano Hang vai ter.

Cabo eleitoral de Jair Bolsonaro (PSL), Luciano Hang, dono da Havan, reuniu dezenas de funcionários para pregar sobre dois temas principais: a “guerra contra o comunismo” e a necessidade do voto em seu candidato; foram 39 minutos de transmissão ao vivo, em sua página no Facebook, começando com a execução do hino nacional, fechando com jingle do capitão reformado e, no segmento “Havan fechada”, ao lembrar que atualmente a empresa tem 15 mil colaboradores e mais de 60 mil pessoas dependentes da Havan, ameaçou: “Não tem empresário, não tem empreendedor neste país que vai investir dinheiro com o PT novamente no poder”.

ASSISTA:

Com informações: Brasil247


Deixe um Comentário