Ambiental

Lixo encontrado no Parque das Dunas compromete a biodiversidade, alerta Idema

FOTO: DIVULGAÇÃO

Nessa quarta-feira (22), o Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente – Idema, por meio da equipe do Parque Estadual Dunas do Natal “Jornalista Luiz Maria Alves”, identificou uma grande quantidade de lixo na Unidade de Conservação em um trecho da área de Mata, localizada próximo a Rua da Torre, em Morro Branco. Os técnicos do Idema detectaram também uma invasão de pessoas para a prática de exercícios físicos, que tiveram acesso ao Parque, através de trilha clandestina.

A administração montou uma equipe para fazer a limpeza do local, e faz, novamente, um apelo à população para a preservação dessa importante área protegida, reconhecida como parte integrante da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica Brasileira, formada por uma diversidade biológica fundamental para a existência do Bioma.

De acordo com a gestora do Parque das Dunas, Mary Sorage, a presença irregular na mata tem provocado desequilíbrio ao ecossistema. “Vivemos uma situação devastadora no mundo todo causada pela poluição de plástico. Uma grande ameaça aos ecossistemas e ainda estamos engatinhando na discussão desse tema. Foi um sentimento de tristeza encontrar tanto lixo em nossa Unidade de Conservação, e ao mesmo tempo ver que muitas pessoas tratam isso com descaso ou não se sentem responsáveis pelo processo nocivo do Planeta Terra”, disse.

Na manhã desta quinta-feira (23), uma equipe formada por 12 agentes de limpeza da sede do Idema e do Parque das Dunas, acompanhados pela Companhia Independente de Proteção Ambiental (Cipam), além de um mutirão de limpeza em uma área de 800m, os profissionais realizaram o fechamento da cerca no acesso clandestino, em mais uma tentativa de acabar com esse tipo de ação no local. O material recolhido hoje é composto por garrafas de água, bitucas de cigarro, preservativos, lençóis, papelão, eletrodomésticos, utensílios de plástico, entre outros. Ao todo, foram recolhidos 15 sacos (cada um com capacidade de 200L) de material. Na vistoria feita, também foram identificadas árvores pichadas, placas e bancos destruídos.

Apesar de o Parque das Dunas continuar fechado devido as recomendações dos Decretos Estaduais no enfrentamento da pandemia da Covid-19, o lixo aparentava ser algo recente, mesmo estando suspensas as visitas. “Parte da população ignora o fato de que o Parque das Dunas é uma área protegida por lei e que é prioridade a conservação e a preservação da mata da nossa cidade. A utilização de trilhas clandestinas desrespeita e desconsidera toda a questão dos princípios da preservação da Unidade de Conservação da Natureza”, ressaltou Mary.

A gestora falou, ainda, a importância de se pensar nos animais que vivem na Mata e que dependem de um ambiente equilibrado para sua própria existência. “Um animal que encontra materiais estranhos em seu habitat, pode achar que é alimento e ingerir; pode também se ferir com os resíduos; adquirir/transmitir doenças ou até morrer. Os animais se afugentam à medida que as pessoas modificam o habitat deles. São questões sérias que refletem na saúde dos animais, na qualidade das plantas, solos e do ar e da própria saúde humana”, afirma.

No último sábado (18), um agente registrou um grupo de corrida, que entrou na área sem autorização. O acesso ao Parque por meio de trilhas clandestinas é terminantemente proibido, sendo considerado infração ambiental. “E ao fazerem isso, neste momento, cometem dois tipos de infrações: uma de cunho ambiental e outra por descumprimento do distanciamento social. A invasão em área protegida é fator gerador de diversos riscos causados ao meio ambiente e para a segurança. Sem falar que essas pessoas estavam promovendo aglomeração, colocando em risco a saúde individual e coletiva. Vale ressaltar que, descumprimento dos Decretos Estaduais de medidas restritivas implica em multas e ações penais”, afirma o diretor administrativo do Idema, Marcílio Lucena.

O diretor geral do Idema, Leon Aguiar, comentou que, ao longo dos meses, o Idema tem buscado combater o uso dessas trilhas, inclusive oficiou o Conselho Regional de Educação Física a respeito do uso inadequado, por parte de alguns educadores físicos que insistem em utilizar a área do Parque das Dunas de maneira incorreta. Além disso, no ano de 2019, o Idema realizou a obra para reconstrução da cerca do Parque.

“Enquanto algumas pessoas estão em casa, se esforçando para seguir as orientações dos órgãos de saúde, outras estão ignorando a situação em que nos encontramos, com o argumento do seu próprio bem-estar. O papel do Idema está relacionado com a sensibilização das pessoas. O poder público faz sua parte, mas com essas ações de destruição do patrimônio e invasões na área, todos saem perdendo”, finalizou o diretor.


Comente aqui