Política

Líderes do Congresso preferem Rogério Marinho a Paulo Guedes, aponta pesquisa feita pelo Painel do Poder

FOTO: DIVULGAÇÃO

O ministro Rogério Marinho, do Desenvolvimento Regional, conta com a preferência dos líderes no Congresso na queda de braço que trava desde o início do ano com o ministro Paulo Guedes, da Economia. Marinho, que foi secretário especial da Previdência, órgão subordinado a Guedes, teve participação decisiva na aprovação da reforma previdenciária em 2019. Os dois, no entanto, romperam devido a divergências, sobretudo, em relação aos gastos públicos.

Pesquisa feita com as principais lideranças da Câmara e do Senado pelo Painel do Poder, instrumento do Congresso em Foco que mede o humor do Parlamento em relação a temas legislativos e autoridades, mostra Marinho como o terceiro ministro mais bem avaliado pelos congressistas. Ele obteve média de 3,2, em uma escala de 1 a 5, em que quanto maior o número, maior é a aprovação. Sua nota é melhor entre os independentes e os oposicionistas na comparação com os governistas.

Apenas a ministra Tereza Cristina (3,5), da Agricultura, e o chefe do Ministério da Infraestrutura, Tarcisio Gomes de Freitas (3,4), pontuaram mais do que o ex-deputado do PSDB do Rio Grande do Norte. Paulo Guedes vem na quinta posição, com 2,6 pontos de avaliação positiva, mesma pontuação alcançada pelo ministro da Casa Civil, Braga Netto.

Esta é a pior avaliação recebida pelo ministro da Economia desde sua posse – queda de 0,3 em relação à onda anterior, feita em julho. Guedes tem melhor desempenho que o colega entre os governistas.

O melhor desempenho de Marinho entre os líeres pode ser creditado, em parte, ao livre trânsito que ele tem no Congresso, depois de três mandatos como deputado. Relator da reforma trabalhista, ele foi o principal articulador político para aprovar as mudanças na Previdência.

Congresso em Foco


Comente aqui