Educação

Jovem natalense recebe certificado de excelência na maior competição de profissões técnicas do mundo

PAULO HENRIQUE CONCLUIU O CURSO DE TÉCNICO EM MECÂNICA INDUSTRIAL NO CENTRO DE TECNOLOGIA DO GÁS E ENERGIAS RENOVÁVEIS (CTGAS-ER) DO SENAI, EM 2018. FOTO: FIERN

Paulo Henrique Raimundo Farias, de 21 anos, foi um dos dois representantes do Rio Grande do Norte que participou da WorldSkills 2019, maior competição de profissões técnicas do mundo. Ele disputou na modalidade de Instalações Hidráulicas e Aquecimento e conquistou o certificado de excelência, dado aos competidores que superaram o nível padrão mundial nas respectivas ocupações.

O jovem, morador de Natal, concluiu o curso de Técnico em Mecânica Industrial no Centro de Tecnologia do Gás e Energias Renováveis (CTGAS-ER) do SENAI, em 2018. Na Rússia, Raimundo teve que simular uma instalação doméstica de tubulações e sistemas de água quente e fria, de esgoto, gás e de aquecimento.

“A conquista do certificado representa a recompensa de um trabalho desenvolvido durante um ano e meio de muito esforço, de muita dedicação, onde quando eu pude demonstrar toda a minha habilidade e tudo o que eu pude agregar na ocupação. Então, essa conquista representa muito para mim”, afirma Farias.

Além de Raimundo, outro estudante da capital potiguar participou da WorldSkills 2019. Gustavo Almeida Carlos competiu na modalidade de Serviço de Restaurante e ficou na vigésima colocação geral.

Os competidores da WorldSkills são estudantes de cursos técnicos e jovens profissionais de até 25 anos de idade. Nas provas, realizadas durante quatro dias, os participantes devem completar os desafios propostos pela organização dentro de padrões internacionais de qualidade, demonstrando habilidades técnicas individuais e coletivas em profissões da indústria, do comércio e do setor de serviços.

Desempenho brasileiro

A delegação brasileira tem se estabelecido entre as equipes mais vitoriosas da WorldSkills. Foi a campeã na edição ocorrida em São Paulo, em 2015. Na edição de Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos, em 2017, alcançou o segundo lugar. Em 2019, além das 13 medalhas, a delegação tupiniquim garantiu, ainda, 28 certificados de excelência, em 28 ocupações técnicas profissionais.

Na edição deste ano, 1.354 jovens de 63 países participaram do torneio. O Brasil ficou em terceiro lugar na classificação geral. A China, que sediará a próxima WorldSkills, em 2021, ficou em primeiro lugar. A Rússia, anfitriã do torneio, conquistou a segunda posição.


Deixe um Comentário