Internacional

Jornalista acusa Trump de estupro: “Ele me violentou no provador de uma loja”, afirma

Imagem: julieannesmo/CC BY-SA 3.0/Wikimedia Commons

A jornalista Elizabeth Jean Carroll, ex-colunista da revista de moda norte-americana Elle, afirmou nesta sexta-feira, dia 21, em texto publicado na New York Magazine, que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, a estuprou em provador de uma loja.

A suposta agressão teria acontecido em 1995 em uma das filiais da loja de departamento Bergdorf Goodman, em Nova York. Na época, Trump era um famoso magnata do ramo imobiliário, e ela tinha um programa de televisão em que dava conselhos aos telespectadores.

“Ele me jogou contra a parede, batendo minha cabeça com força. No momento seguinte, abriu o sobretudo e o zíper da calça e forçou seus dedos ao redor da minha região íntima.”, detalha Carroll.

Depois do relato de Jean Carroll, Trump negou, veementemente, as acusações. Ele afirmou que sequer conhece a jornalista.

Com relação à ‘notícia’ de Elizabeth Jean Carroll, que afirma que nos encontramos há 23 anos na Bergdorf Goodman: nunca conheci esta pessoa“, disse o presidente dos EUA, em nota.

O trecho publicado na New York Magazine, que inclui a acusação feita por Jean Caroll, integra parte do primeiro livro escrito por ela.

Segundo a escritora, Trump teria, supostamente, ido à Bergdorf Goodman para comprar um presente à Marla Maples, atriz norte-americana e esposa de Trump à época das acusações.

PRESIDENTE REBATE 

Em comunicado, Trump questionou o fato de não haver indícios do suposto estupro. “Pergunto à senhora Carroll e à ‘New York Magazine’: Não há fotos? Não há (câmeras de) monitoramento? Não há vídeo? Não há registro? Não havia nenhum funcionário da loja perto?”, indagou.

Ele também agradece à loja de departamento Bergdorf Goodman, que confirmou não haver gravação de vídeo do suposto estupro.

O presidente dos EUA também criticou a publicação da New York Magazine, classificando-a como “publicação em vias de extinção“. Segundo ele, a revista almejava promover-se “mediante divulgação de notícias falsas“.

Trump também sugeriu que o Partido Democrata estaria por trás da acusação, trabalhando juntamente com Jean Carroll. Ainda na nota, Trump diz que os responsáveis devem ser punidos pelas “acusações falsas“.

Com informações: Poder 360


Deixe um Comentário