Cidades

Hub de tecnologia potiguar deve colocar RN na rota da inovação internacional

FOTO: DIVULGAÇÃO

Com 2 mil metros de área construída e dezenas de startups instaladas, o hub de tecnologia construído no estado promete colocar o Rio Grande do Norte na rota internacional da inovação. O ousado projeto, batizado de The Bridge (a ponte), abriu suas portas no mês de setembro e já iniciou a instalação de startups com DNA potiguar.

Dezenas de empresas criadas no Rio Grande do Norte devem tomar conta do amplo espaço, que foi construído para o seu pleno desenvolvimento. “Teremos, em um mesmo ambiente, tudo que uma startup precisa para ganhar o mundo. O hub será realmente uma ponte entre a ideia inovadora e o mercado. Uma ideia inovadora, sem o apoio necessário, é apenas uma ideia. No entanto, com o suporte correto, pode se transformar em um negócio bilionário e ganhar o mundo”, explica Kedson Silva, CEO do projeto. 

Com três startups instaladas no local, o empresário Thiago Cortez aposta no ambiente criado pelo Hub. “Estamos em um ecossistema que vai fomentar tecnologia diariamente. Então, o próprio ambiente vai proporcionar a troca de informações, de tecnologias, de erros e acertos entre as startups. Creio que todas as empresas instaladas terão um crescimento muito grande participando desse projeto”, explica Thiago.

Com uma empresa especializada na criação de conteúdo para plataformas de redes sociais, o empresário André Dantas aposta no network gerado pelo hub. “Uma empresa vai ajudar a outra. Posso trazer negócios para outras empresas do hub, mas também posso captar clientes para minha empresa. Acreditamos que o nosso estado vai se tornar referência muito rápido e será um privilégio participar desse projeto desde o inicio”, comemora.

Inspiração internacional

O projeto do The Bridge foi baseado em experiências internacionais de sucesso semelhantes. “Passei vários anos viajando e conhecendo as principais referências em hubs de tecnologia do mundo. Podemos falar que colocamos um pouco de cada projeto dentro do nosso. Do suporte de um escritório de advocacia, passando por conexões com fundos de investimentos, tudo pode ser encontrado aqui”, explica Kedson Silva.

O hub vai ajudar a reter os talentos no RN. “Em razão do trabalho desenvolvido pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte, nosso estado forma, todos os anos, centenas de talentos na área da tecnologia e inovação. Infelizmente, por falta de oportunidades, eles acabam indo para outras partes do Brasil ou do mundo. Com o hub, esses talentos terão a oportunidade de desenvolver seu trabalho aqui, em um ambiente que ele encontraria nos melhores espaços semelhantes mundo afora”, destaca o idealizador do projeto.



1 Comentário

  • Curiosamente, esta taba de Poti está se tornando pródiga em matéria de hubs. Primeiro foi o hub de logística do aeroporto Aluízio Alves, que segundo Jaime Calado transformaria São Gonçalo do Amarante numa “cidade-aeroporto”. Como era tudo lorota fiada para engabelar trouxas, deu chabu. Agora aparece este outro hub, dito de “inovação”, porém com cara de “Sebrae Júnior”, na medida que mais parece uma simples incubadora de microempresas… Mas tenhamos fé (desde que não passem a sacolinha, claro) e sejamos otimistas: quem sabe este novo hub não termine parindo a ideia, por exemplo, de dotar Natal de um porto decente? Nunca se sabe.

Comente aqui