CORONAVÍRUS

Hospitais municipais recebem visita da Comissão de Saúde da Câmara de Natal

FOTO: ELPÍDIO JÚNIOR

A Comissão de Saúde, Previdência e de Assistência Social da Câmara Municipal de Natal deu prosseguimento, nessa segunda-feira (03), às visitas fiscalizatórias aos hospitais públicos que prestam atendimento a pacientes com Covid-19. O primeiro a ser visitado foi o Hospital de Campanha, localizado na Via Costeira.

Dos 102 leitos de enfermaria oferecidos, 47 estão ocupados. A unidade ainda dispõe de 34 leitos de UTI; 29 estão em funcionamento, com 26 ocupados e 3 regulados. Alguns leitos não estão ativos por falta de equipamentos, como ventiladores mecânicos em manutenção. “Infelizmente, os três gestores do Hospital de Campanha não estavam presentes para oferecer informações mais detalhadas da situação”, lamentou o vereador Luciano Nascimento (PTB).

Já no Hospital Municipal de Natal (HMN), em Petrópolis, os vereadores foram recebidos pelo diretor administrativo, Graco Dornelles. Segundo ele, o HMN opera com 100% da ocupação dos seus 76 leitos, sendo 23 de UTI e 53 clínicos. “A situação é difícil. Os profissionais travam uma luta diária contra uma pandemia persistente. O que também preocupa é a falta de alguns insumos, fundamentais para o tratamento da doença”, pontuou Dornelles.

A terceira unidade visitada foi o Hospital Natal Sul. Inaugurado há cerca de 40 dias, a unidade atende pacientes no estágio inicial da doença e possui 31 leitos, além de 4 salas de estabilização. De acordo com o diretor clínico, Raiff Villarin, os pacientes permanecem em média cinco dias internados. “Aqui o nosso foco é evitar que as pessoas tenham seu estado de saúde agravado a ponto de precisarem de UTI”.

O presidente da Comissão de Saúde, vereador Preto Aquino (PSD), fez um balanço das visitas. “Estamos cumprindo uma das nossas principais tarefas, que é a fiscalização das ações dos poderes públicos. Ao longo do percurso, encontramos pontos positivos, especialmente a dedicação dos profissionais. Em tempo: tudo será registrado em relatório e depois encaminhado para os órgãos competentes”, finalizou.


Comente aqui