Polícia

Governo do RN pede rigor nas investigações sobre mortes de policiais

FOTO: REPRODUÇÃO

Após o assassinato de mais um policial militar na noite desta terça-feira (13) em Natal, a Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social (SESED) emitiu nota afirmando que, de imediato, determinou empenho ao Núcleo de Investigação Policial de Mortes de Agentes de Segurança Pública (NIMAS) para que adote todos os procedimentos necessários para uma “resposta rápida e eficaz, com a identificação, localização e prisão dos responsáveis”.

De acordo com a nota da Sesed, nos últimos dias quatro policiais militares foram vítimas de criminosos no Rio Grande do Norte, além de um policial civil paraibano que morava em Natal.

“A SESED esclarece que o NIMAS foi criado em 2019, já na atual gestão, e que está vinculado à Divisão de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP), da Polícia Civil. Em tempo, e ainda perante a sociedade e as famílias dos agentes públicos envolvidos, também externa profundo pesar pelas vidas ceifadas de maneira cruel e covarde”, diz a nota.

CRIMES

Um cabo da Polícia Militar foi morto a tiros na noite de ontem (13) durante um assalto a uma loja no bairro Capim Macio, na Zona Sul de Natal. Gustavo Pinheiro de Andrade tinha 39 anos de idade e estava na corporação desde 2010. Ele atuava no quinto batalhão.

Na noite da última segunda-feira (12), mais um PM foi baleado de raspão na cabeça após reagir um assalto no bairro de Lagoa Nova, na Zona Sul de Natal. O policial foi atendido e liberado em seguida.

No último sábado (10), um policial civil da Paraíba foi morto a tiros em frente à mulher e os filhos no bairro Pitimbu, na Zona Sul de Natal. Ele morava na capital potiguar e estava saindo da casa do sogro, quando foi abordado e morto por dois criminosos.

Na sexta-feira (9), um sargento da PM foi baleado em Natal também durante um assalto. Mesmo sem ele ter reagido à ação, os criminosos dispararam várias vezes ao perceberem que era um policial. Um tiro atingiu o peito do sargento e os outros, o seu capacete, que protegeu a cabeça. Ele não corre risco de morrer.

Na última quinta-feira (8), um policial militar também foi baleado na cabeça em uma tentativa de assalto em Mossoró. Ele faleceu depois de dois dias internado no hospital.

Nota Pública

A Associação dos Subtenentes e Sargentos Policiais e Bombeiros Militares do RN – ASSPMBMRN lamenta que o estado do Rio Grande do Norte se destaque, mais uma vez, em um triste cenário de violência, na vitimização dos operadores da Segurança Pública. Em cada perda de um policial existe uma família, e toda uma vida de dedicação à população, que é prejudicada.

Sobre os números crescentes de morte de policiais, atribuímos estas constantes ocorrências à defasagem da legislação atual que favorece a impunidade e consequentemente estimula a criminalidade. Além disso, as forças de segurança convivem com condições inadequadas de trabalho para que executem sua função de proteção à população como deveriam, somado ainda a desvalorização profissional.

Enquanto Associação, cobramos ações enérgicas e eficazes do Estado para fortalecer a segurança pública com investimentos nas polícias, visando a qualidade do serviço. Reforçamos o antigo pleito de criação de um departamento especializado para investigação de morte de policiais como atuação em favor da segurança do RN.

Com informações do Portal Grande Ponto


Comente aqui