Televisão

Globo economiza quase meio bilhão com demissões e corte de despesas

BRUNA MARQUEZINE EM CENA DE DEUS SALVE O REI (2018): ATRIZ FOI DISPENSADA APÓS CAR MAIS DE UM ANO PARADA. FOTO: REPRODUÇÃO

A política de cortes de despesas, demissões e renegociações de contratos da Globo rendeu uma economia de R$ 468 milhões no ano passado, o equivalente a quase metade de todo o faturamento do SBT de São Paulo. É o que mostra balanço contábil publicado pela emissora nesta semana. Na área de produção de novelas, séries, programas de entretenimento e jornalismo, a redução foi ainda maior, de R$ 587 milhões.

A TV Globo faturou no ano passado R$ 9,679 bilhões, 3,8% a menos do que os R$ 10,061 bilhões de 2018. Dessa forma, a emissora voltou a registrar queda no faturamento, uma tendência que havia sido interrompida no ano anterior.

Somando-se a TV Globo com a Globosat e a G2C (empresa que comercializa seus canais pagos), a receita do maior grupo de mídia nacional foi de R$ 14,091 bilhões, R$ 588 milhões a menos do que em 2018 (R$ 14,679 bilhões).

A Globo registrou um leve aumento nas despesas administrativas e com vendas. No ano passado, desembolsou R$ 1,176 bilhão com bonificações por volume (o chamado BV) às agências de publicidade.

Assim como em 2018, a emissora teve prejuízo operacional, ou seja, seus custos com produção e com investimentos em tecnologia e instalações foram maiores do que as receitas com publicidade e serviços. O resultado operacional líquido antes da contabilização do resultado financeiro e dos investimentos foi de R$ 573 milhões negativos, contra um déficit de R$ 530 milhões no ano anterior.

UOL



Deixe um Comentário