Turismo

Fátima Bezerra diz que não tem recurso para divulgar o RN e manda “trade” turístico ir buscar dinheiro com bancada federal

FÁTIMA BEZERRA DIZ AO EMPRESARIADO DE TURISMO QUE O GOVERNO NÃO TEM DINHEIRO PARA DIVULGAR O RN

Enquanto o vizinho estado do Ceará divulga o seu destino turístico em meia página do jornalão Estado de São Paulo, nesta quarta-feira, 28, a governadora Fátima Bezerra deixou parte do chamado “trade turístico” com as orelhas murchas, durante recente reunião realizada na, segunda-feira, dia 26, na Governadoria com entidades do chamado “trade turístico” potiguar….

…. Fátima foi transparente como um cristal ao dizer que o Rio Grande do Norte não tem condições de investir em divulgação turística, por falta de disponibilidade de recursos do “Governo Cidadão”…

NESTA QUARTA-FEIRA O ESTADO DO CEARÁ DIVULGA SEU TURISMO NO CADERNO METRÓPOLE DO JORNAL O ESTADO DE S.PAULO

…. Ela encaminhou a cobrança da fatura de divulgação para a bancada federal, ao sugerir que o empresariado do turismo fosse atrás dos deputados e senadores para obter recursos para divulgação, através de emendas parlamentares.

Aliás….

Fátima foi honesta com o “trade” turístico e a sua declaração converge com o depoimento que o secretário de Finanças do RN, Aldemir Freire, deu aos deputados estaduais durante reunião realizada nesta terça-feira, 28, na Comissão Finanças e Fiscalização da Assembleia Legislativa:

– O estado não tem capacidade para investir em nada, nem em operação ‘tapa  buracos”, revelou Aldemir.

SECRETÁRIO ALDEMIR FREIRE REVELA AOS DEPUTADOS QUE OS ESTADO NÃO TEM DINHEIRO NEM PARA TAPA BURACOS

Freire deixou claro que o Rio Grande do Norte está quebrado, e sem capacidade de investir em nada pelos próximos dois anos, pelo menos. Novos investimentos só se a economia reagir e o modelo econômico do ministro Paulo Guedes tiver êxito. Aldemir enfatizou que torce pelo ministro da Economia do governo Bolsonaro.

Mas….

O trade turístico não quer apenas divulgação, quer também que o governo do RN beneficie o setor com incentivos fiscais para, por exemplo, aquisição de equipamentos; e reduza o valor do ICMS que o empresariado paga sobre a energia elétrica; ou seja à Cosern.

Fátima ouviu, não disse que sim, não disse que não.

Anotou a reivindicação no seu bloco de pedidos, muitos dos quais nunca sairão do papel.

O sempre otimista “trade” turístico, na ausência de recursos do Governo Cidadão, tem esperança a governadora invista em divulgação com recursos próprios do Estado.

O mesmo Estado que tem uma folha de pagamento de R$ 500 milhões / mês e só de decisão judicial tem bloqueado na conta geral bloqueado a nota preta de R$ 286 milhões por ano, para demandas da área de saúde.

O “trade” turístico parece não ter entendido o recado…


Deixe um Comentário