Mundo

Ex-primeira dama da Islândia diz que seu cachorro clonado detecta coronavírus

FOTO: DIVULGAÇÃO

Ex-primeira dama da Islândia, Dorrit Moussaieff, de 70 anos, fez uma polêmica declaração sobre seu cachorro Samson, que foi clonado no ano passado, a partir do material genético do seu pet anterior, chamado Sámur. A mulher do ex-presidente Ólafur Ragnar Grímsson, de 77 anos, afirmou que o animal é capaz de detectar o novo coronavírus.

Dorrit já havia repercutido nas redes sociais quando decidiu clonar seu cão que morreu no início de 2019, por amá-lo demais, conforme dissera. No entanto, ela apontou diferenças entre o animal de estimação atual, nascido em outubro, e o falecido. Segundo Dorrit, Samson tem um “olfato sobrenatural”, com a capacidade de identificar pessoas infectadas com a Covid-19.

De fato, treinamentos de cachorros foram feitos no Hospital Universitário da Pensilvânia, nos EUA, em tentativas de usá-los no combate à pandemia. Agora Dorrit deseja que Samson também participe de estudos desse tipo para ajudar seu país.

“Quero treiná-lo para farejar COVID”, disse ela, informou a revista islandesa “Grapevine”. “O olfato de Samson é muito bom. Especialistas analisaram o assunto. Espero que, se isso funcionar, possa beneficiar a Islândia. Quando a quarentena terminar, faremos mais experimentos e pesquisas com isso. Só espero que eu seja forte o suficiente para esperar essas duas semanas”, completou Dorrit, que já teve a Covid-19 após realizar viagens e, por isso, precisou ficar um tempo afastada de Samson.

Extra

Comentários