ELEIÇÕES 2020

Enquanto Álvaro Dias já tem chapa completa, concorrentes “patinam” para encontrar um “vice”

ÁLVARO DIAS DESPONTA COMO FAVORITO NAS ELEIÇÕES MUNICIPAIS


O anúncio do prefeito Álvaro Dias (PSDB) de que candidato a reeleição junto com o anúncio da candidatura da advogada Aíla Cortez para vice, assegurando o apoio do PDT do ex-prefeito Carlos Eduardo, deixou seus principais adversários em situação ainda mais difícil para tentar tirá-lo da cadeira em 2021.


Álvaro vem liderando com folga as pesquisas feitas até aqui e os pré-candidatos adversários, mesmo já tendo se lançado há tempos, continuam patinando em patamares ínfimos nas pesquisas. Essa realidade é consequente em grande parte da pandemia da Covid 19 na qual o prefeito, até por ser médico, se saiu bem com inciativas de visibilidade e que efetivamente deram resultados como o Hospital de Campanha, o tratamento precoce com um protocolo de medicamentos que, quando começou a ser usado, resultou em uma queda significativa dos casos e principalmente dos óbitos pela Covid, aliado ao trabalho na atenção básica com três Centros de Atendimento e nas unidades básicas de referência para a doença.


O fato é que, faltando menos de 20 dias para o prazo final das convenções, o prefeito Álvaro Dias é o único que tem uma chapa formada e um rol de apoios partidários que dá substância e musculatura à sua candidatura. O PT, por ter o governo do Estado e por ser um partido estruturado e orgânico, teria condições melhores de enfrentar o prefeito, mas suas brigas internas acabaram afastando a candidatura da deputada Natália Bonavides, e fazendo o partido optar pelo senador Jean Paul Prates, um total desconhecido dos natalenses, que busca divulgar seu nome para tentar uma reeleição em 2022. Seu principal parceiro nas disputas eleitorais, o PC do B, com a impossibilidade de coligação na chapa proporcional, resolveu lançar a candidatura de Fernando Freitas, até para divulgar o número da legenda e tentar emplacar ao menos um vereador, ao invés de fazer esteira para as candidaturas petistas. Agora, o PT busca um partido ainda menor para indicar o vice ou estuda sair com chapa puro sangue.


O candidato Kelps Lima (solidariedade) chegou a convidar Carla Dickson para vice, anunciar o PRTB, do vice-presidente Mourão, e até o PSL do general Girão. Mas o bolsonarismo raiz caminha para apoiar a candidatura do coronel Hélio Oliveira, deixando Kelps com o pincel na mão. Carla Dickson (PROS), assumiu um mandato de deputada federal e anunciou que não será candidata este ano. Seu partido caminha para apoiar a reeleição do prefeito Álvaro Dias.


Já Hermano Moraes (PSB) que conseguiu migrar do PMDB para o PSB com autorização da justiça eleitoral e se aproximou do ex-prefeito Carlos Eduardo para tentar formar uma chapa com o PDT, como esse cenário não se mostrou muito viável, partiu para uma aproximação com a governadora Fátima Bezerra. Também sem sucesso para um apoio no primeiro turno, já que o PT já deliberou para candidatura do senador Prates. Agora, o socialista tenta conseguir um vice em outro partido menor, ainda sem muito definição de que caminho irá seguir.


O outro único candidato que tem vice anunciado é coronel Hélio (PRTB) que está em campanha ao lado de Getúlio Batista (PTB). O problema é que a nominata de candidatos a vereador dos trabalhistas do velho Getulio Vargas (deve estar se virando no túmulo) é formada por um grupo de lideranças comunitárias formado com o nome de Movimento Pró Natal que migrou para o PTB com a esperança de eleger um ou dois nomes, numa manobra política engendrada por Álvaro Dias e Paulinho Freire, resta saber se eles vão se empenhar na candidatura do coronel bolsonarista ou se manterão fidelidade ao projeto de reeleição do prefeito.


Comente aqui